Bode na Sala
Destaque Especiais Filmes

10 filmes de romance em que o casal não fica junto no final

10 filmes de romance em que o casal não fica junto no final

Todos nós amamos um bom filme de romance com um “e eles viveram felizes para sempre” no final, não é mesmo? Mas nem sempre é assim. Muitas vezes, o par romântico acaba não ficando junto por causa infidelidade, desentendimentos irreparáveis e até mesmo morte os separa. Pensando nisso, a equipe do Bode na Sala separou 10 vezes em que o casal não ficou junto. Confira:

[Contém spoilers de todos os filmes listados]

 

  • Ghost: Do Outro Lado da Vida (1990)

Sam (Patrick Swayze) e Molly (Demi Moore) eram um casal extremamente apaixonado. A icônica cena na qual eles moldam juntos (e destroem) um vaso de argila ainda surge em paródias de momentos românticos de casais. Tudo parecia ir muito bem até que Sam é assassinado. Mesmo morto, o amor que sentia lhe deu forças para buscar uma forma de cuidar da segurança de Molly, usando como canal de comunicação a médium farsante Oda Mae Brown (Whoopi Goldberg). Oda Mae ainda conseguiu ajudar o casal a ter um breve e último contato físico mas, no final, Sam teve que ir para o além, deixando Molly apenas com as lembranças dos momentos que passaram juntos. Por André Bozzetti

 

  • Meu Primeiro Amor (1991)

Vada (Anna Chlumsky) não está passando pelo momento mais fácil de sua vida. Aos 10 anos de idade, naquela fase de criar amores platônicos por professores e de sentir ciúmes da nova namorada de seu pai viúvo, ela encontra em Thomas (Macaulay Culkin) um amigo inesperado. Apesar dos deboches de suas colegas por Thomas ser um menino (e não muito popular) , a amizade dos dois segue crescendo. Quando o sentimento entre os dois se torna uma inocente paixão infantil, Thomas sofre um acidente. Enquanto procurava por um anel que Vada havia perdido, e que era muito importante para ela, o menino é atacado por abelhas. Devido à sua alergia e às centenas de picadas, Thomas não sobrevive. Assim, algo que poderia ter se tornado uma linda história termina como mais um duro golpe no já sofrido coração de Vada. Por André Bozzetti

 

  • Titanic (1997)

Jack Dawson (Leonardo DiCaprio) era um pobre jovem artista que conseguiu uma passagem para o luxuoso Titanic de última hora. No navio, ele impede Rose DeWitt (Kate Winslet) de se suicidar. Rose está infeliz com o casamento arranjado com o arrogante Cal Hockley (Billy Zane) e não demora para que ela e Jack se apaixonem. Mas o romance dos dois não dura muito. Quando o navio bate no infame iceberg e afunda, o destino os separa de forma cruel. Jack se sacrifica para garantir que sua amada viva, congelando até a morte enquanto ela consegue sobreviver. Mesmo depois de 80 anos, Rose ainda não o superou. Nós também não, Rose.

 

  • O Segredo de Brokeback Mountain (2004)

Filmes que celebram o orgulho LGBT

Em O Segredo de Brokeback Mountain, o diretor Ang Lee nos traz um olhar completamente diferente sobre essa mítica figura do cowboy. Quando os vaqueiros Ennis Del Mar (Heath Ledger) e Jack Twist (Jake Gyllenhaal) ficam isolados, pastoreando ovelhas, no alto da Montanha Brokeback, eles acabam se apaixonando de maneira ardente. Só que, na década de 1960 e em um local extremamente conservador, os dois não assumem a sua relação e, quando terminam o serviço, seguem para vidas consideradas ‘normais’ – casando-se com mulheres e tendo filhos. Apesar disso, a paixão proibida entre os dois nunca vai embora. Depois de anos separados, Ennis e Jack se reencontram e o amor que eles sentem um pelo outro se mostra mais forte do que nunca. Apesar de ter alguns momentos junto de Ennis, seu grande amor, Jack Twist acaba procurando por afeto em outros braços. A época e o lugar, no entanto, acabam levando o personagem a uma morte terrível, terminando com aquela história de uma maneira melancólica. Por Carlos Redel

 

  • (500) Dias com Ela (2009)

Tom Hansen (Joseph Gordon-Levitt) trabalhava criando cartões comemorativos quando conheceu Summer (Zooey Deschanel), e se apaixonou por ela imediatamente. Ao longo de 500 dias, acompanhamos os altos e baixos da relação que estava fadada ao fim desde o início – era óbvio que Tom gostava de Summer mais do que ela gostava dele. Os dois terminam e Summer se casa pouco tempo depois. Quando Tom encontra Summer no parque e pergunta porque ela nunca quis nada sério com ele e se casou de repente, ela responde que com o noivo dela ela sentiu uma certeza que nunca teve com Tom. No final dos 500 dias do título, em uma entrevista de emprego, o protagonista conhece Autumn (Minka Kelly), começando a contagem de dias de novo.

 

  • Namorados Para Sempre (2010)

Ao contrário do que o título nacional pode levar a acreditar, eles não ficam juntos para sempre. Cindy Heller (Michelle Williams) é uma estudante de medicina que conhece o romântico Dean (Ryan Gosling) quando vai visitar a sua avó no asilo. Apesar de Cindy não se importar muito com ele à primeira vista, Dean fica perdidamente apaixonado e insiste nela até que o sentimento vira recíproco. Cinco anos depois, o casamento dos protagonistas está passando por um momento conturbado, impulsionado pelo alcoolismo de Dean. Os dois passam o filme inteiro brigando, se reconciliando e brigando de novo até Dean aparecer bêbado e violento no trabalho de Cindy e fazer com que ela seja demitida. Depois disso, ela pede o divórcio. Dean insiste para que ela reconsidere para que a filha dos dois não cresça com pais divorciados, mas ela recusa por não querer que a filha cresça em um lar em que os pais se odeiam. Ele concorda e os dois seguem caminhos diferentes.

 

  • Ela (2013)

Theodore Twombly (Joaquin Phoenix) era um homem solitário tentando superar o divórcio com a esposa (Rooney Mara) quando compra um sistema operacional com inteligência artificial. Samantha (voz de Scarlett Johansson), nome que deu a si mesma, começa a colocar a vida de Theodore de volta nos trilhos, administrando as coisas dele. Não demora muito para os dois começarem a nutrir sentimentos um pelo outro. E conforme o romance crescia, eles sentiam as dificuldades da limitação de Samantha não ter um corpo e da pouca aceitação dos outros a sua volta. No entanto, a medida que o sistema operacional evoluía, Theodore ficou de segundo plano – Samantha conversava com milhares de pessoas simultaneamente e estava apaixonada por 641. No final do filme, todos os sistemas operacionais de todos os usuários transcenderam para um lugar além do mundo físico, deixando o a todos sozinhos, incluindo Theodore.

 

  • A Culpa é das Estrelas (2014)

Hazel Grace (Shailene Woodley) é uma jovem de 19 anos e com câncer terminal na tiroide que se espalhou para os pulmões dela e dificulta a respiração dela. Ela não tem muitos anos restantes de vida e vai obrigada pelos pais a um grupo de apoio de jovens com câncer. Em uma das sessões ela conhece Augustus Walters (Ansel Elgort), um otimista e carismático garoto com câncer nos ossos. Apesar de inicialmente se irritar com a pretensão de Augustus, Hazel logo cai nas graças dele e os dois começam a namorar. Mesmo que o câncer de Hazel seja terminal, Augustus tem uma súbita e mortal piora, reduzindo o tempo de vida dele para alguns dias. A pedido de Augustus, Hazel e Issac (Nat Wolff), melhor amigo dos dois, fazem o elogio fúnebre com ele vivo para ele poder ver a falta que vai deixar.

 

  • La La Land (2016)

Mia Dolan (Emma Stone) é uma aspirante a atriz que não consegue bons papéis e Sebastian (Ryan Gosling) é um músico otimista com o sonho de abrir o próprio clube de jazz para manter o gênero musical vivo. Os dois se conhecem em Los Angeles e, mesmo um não indo com a cara do outro no início, não demora para que eles passem a se respeitar e se apaixonar. O namoro dos dois é consolidado por um apoiar a carreira do outro, e até as brigas dos dois são por causa das escolhas profissionais que eles tomam. Quando Mia consegue uma oferta irrecusável para ser a protagonista de um filme, a atriz precisa se mudar para Paris e Sebastian precisa continuar em Los Angeles. No epílogo, anos se passam e Mia, agora uma estrela de cinema consolidada, está casada com outro e com duas filhas. Em uma noite, ela e o marido estão presos no trânsito e decidem jantar em um lugar diferente, que acaba por ser o clube que Sebastian abriu. Sebastian, ao ver sua antiga amada, toca o tema que ele compôs para ela. Eles sorriem um para o outro.

 

  • Nasce Uma Estrela (2018)

Jackson Maine (Bradley Cooper) é um popular cantor de country com sérios problemas de alcoolismo, abuso de substância e uma progressiva surdez. Ele estava na pior quando viu Ally (Lady Gaga) se apresentando em um bar de drag queen e se apaixonou instantaneamente por ela. Apesar do talento para compor e cantar, Ally revela para Jackson que sempre que tentou seguir a carreira musical, diziam para ela que ela não era boa o suficiente. Jackson usa do seu sucesso para lançar a carreira de Ally e não demora para a cantora se tornar um sucesso. Tudo é perfeito até os problemas de Jackson se tornarem os problemas dela também. O alcoolismo dele atinge níveis entristecedores e ele é internado. Depois de reabilitado e aparentemente saudável, o agente de Ally, Rez Gavron (Rafi Gavron) conta pra Jackson o quanto ele prejudicou a carreira dela e como ele nunca vai deixar de ser um peso para todos na vida dele. Jackson não vê outra opção a não ser acabar com a própria vida.

 

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

 

The following two tabs change content below.
Estudante de jornalismo, tem 20 anos e é assistidor de séries semi profissional. Fissurado em cinema desde sempre, nunca trabalhou na área e pretende mudar isso algum dia. Fã do Studio Ghibli e de musicais, é fissurado no cinema sul-coreano e nas suas formas de vingança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close