Bode na Sala
Artigos Destaque Filmes Séries

Muito além de motorista do Tony Stark: conheça o trabalho de Jon Favreau por trás das câmeras

Muito além de motorista do Tony Stark: conheça o trabalho de Jon Favreau por trás das câmeras

Favreau como Pete ao lado de Courtney Cox, em Friends

Recentemente, Jon Favreau ficou conhecido do grande público por dar vida a Happy Hogan, o guarda-costas/motorista de Tony Stark (Robert Downey Jr.) no Universo Cinematográfico Marvel. E, com o seu personagem aparecendo na maior franquia da história do cinema, o artista começou a ser lembrado na internet por um outro trabalho seu, o de Pete Becker, namorado bilionário de Mônica (Courtney Cox), em Friends.

No entanto, a vida profissional de Favreau vai muito além destes dois papéis secundários. Além de ter atuado em diversos filmes, incluindo Demolidor: O Homem Sem Medo, em que interpretou Foggy Nelson, Favreau também é cineasta — e, de 2008 para cá, um dos queridinhos de Hollywood.

Favreau e Downey Jr. no set de Homem de Ferro

Há 11 anos, ele foi o responsável por dirigir Homem de Ferro — sim, ele não é apenas o Happy, mas também comandou o filme que foi o pontapé inicial no MCU. Dois anos depois, em 2010, ele novamente assume a cadeira de diretor da franquia para realizar Homem de Ferro 2. Depois do segundo filme, ele passou a ser ‘apenas’ produtor e ator dos filmes da Marvel, partindo para outros projetos. Vale lembrar que, nessa época, a Disney já era dona da Marvel, mas ainda não distribuía os filmes (isso aconteceu apenas em 2012), que eram lançados até então pela Paramount.

Favreau e Daniel Craig nos bastidores de Cowboys & Aliens

A primeira aventura de Favreau na era pós-MCU foi com Cowboys & Aliens, de 2011, que foi um fracasso, mas demonstrava a confiança que Hollywood estava dando para o diretor, uma vez que liberaram US$ 163 milhões para que ele fizesse o filme que não tinha o mesmo apelo dos da Marvel. Mas em contrapartida, três anos depois, ele assume o comando e o protagonismo de Chef, filme em menor escala, mas que foi muito bem de crítica — e que teve participação de Robert Downey Jr.!

Mas foi em 2016 que Favreau virou o garoto de ouro da Disney: ele foi o encarregado de transformar a história de Mogli: O Menino Lobo em live-action e, bem, deu muito certo! A produção arrancou elogios pelo mundo todo, tanto por sua história quanto pela tecnologia inovadora utilizada para criar os animais do filme digitalmente. E, claro, nem vamos citar que o longa, que custou US$ 177 milhões, conquistou quase US$ 1 bilhão em bilheteria, o que fez o Mickey se empolgar ainda mais com Favreau.

Favreau, diretor de O Rei Leão, ao lado de Donaldo Glover, que faz a voz de Simba

Assim, a Disney entregou para o diretor um dos seus projetos mais valiosos: transformar O Rei Leão em live-action (ou quase isso, uma vez que não há seres vivos na tela), utilizando a tecnologia empregada em Mogli. E, bem, Favreau topou. E o filme está quase pronto. A estreia, que está rodeada de muita ansiedade por parte dos fãs, acontece em 18 de julho.

E, se não bastasse tudo isso, o Mickey ainda confiou outro projeto importantíssimo para Favreau: ser o showrunner, ou seja o principal produtor, de The Mandalorian, série derivada de Star Wars que estreará na Disney+, serviço de streaming da empresa. Além disso, ao que tudo indica, ele retornará para a quase certa segunda temporada da atração… Estão confiantes, né?

Para o futuro, Favreau já foi anunciado como diretor de Magic Kingdom, filme que levará às telonas o famoso brinquedo dos parques da Disney, e Mogli 2, que deverá dar continuidade ao sucesso de 2016. Fugindo da casa do Mickey, o cineasta também será o responsável por Prehistoric Planet, série sobre dinossauros da Apple TV+.

Favreau dirigindo Dax Shepard em Zathura

Voltando um pouco no tempo, antes dos grandes blockbusters, o cineasta também comandou filmes menores, começando com Crime Desorganizado, em 2001, Um Duende em Nova York, em 2003, e Zathura: Uma Aventura Espacial, em 2005. Na televisão, ele já dirigiu episódios de séries como Curso: Incerto, em 2002, In Case of Emergency, em 2007, Revolution, em 2012, The Office, em 2013, About a Boy, em 2014, e The Orville e Young Sheldon, ambas em 2017.

Para quem gosta de ver Favreau em frente às câmeras, ele segue nos cinemas com Vingadores: Ultimato e, em 4 de julho, reprisará o papel de Happy Hogan em Homem-Aranha: Longe de Casa.


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

The following two tabs change content below.
Jornalista e radialista, é um dos fundadores do Bode na Sala. Se orgulha de ter nascido em São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, e, atualmente, mora em Porto Alegre. Trabalhou em todas as áreas que se pode imaginar, mas acabou caindo no submundo geek. É fã do Jim Carrey, acha que o Ben Affleck é o melhor Batman do cinema, não suporta pseudo-cultismo e pretende dominar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close