Bode na Sala
Artigos Destaque Especiais

Pai In Dica | Filmes infantis têm gênero? Quando a menina gosta de super-heróis e o menino da princesa

Pai In Dica | Filmes infantis têm gênero? Quando a menina gosta de super-heróis e o menino da princesa

Uma das coisas mais curiosas, no meu ponto de vista, é quando os indivíduos tentam determinar o que o outro pode ou não fazer. O momento em que devemos interferir nos atos e desejos de outra pessoa é algo muito subjetivo, pois precisamos utilizar o bom senso. Agora, quando o assunto é o que as nossas crianças pensam e querem para si pode gerar um longo debate que, provavelmente, não haverá fim por conta dos diversos pontos de vista, alguns em lados completamente opostos. Percebendo tudo isso, vejo que muitos ainda questionam se existem atividades que alguma criança não pode fazer por questões de gênero. Por exemplo, é possível determinar que um menino não possa assistir tal desenho por ser “muito feminino”? Ou que uma menina não pode vestir azul? Pois bem, tenho passado por experiências maravilhosas com meu filho Davi, de 4 anos, e sei o quanto este tema é positivo para o crescimento e envolvimento de todos.

Desde que ele nasceu, nós — pai e mãe — pensamos que nosso filho deveria ter liberdade intelectual e determinar suas atividades. Claro que não de maneira totalmente aberta, pois as crianças precisam de controle. Elas não estão aptas a decidirem sozinhas sobre a maioria das questões. Seria um caos e elas estariam em risco. O que trago aqui são as pequenas vivências que poderão fazer do Davi uma pessoa mais tranquila para decidir sem ter que se preocupar se isso é adequado ou não para ele. Então, a regra basicamente é: Quer dançar? Dance! Quer brincar com as vizinhas? Brinque! Quer fazer ballet? Faça! Quer brincar de carrinho? À vontade!

Ter proporcionado ao meu filho a chance de escolha pelo seu desenho, desde que fosse para sua faixa indicativa, fez dele um menino mais perceptivo aos detalhes do mundo. Desenhos claramente desenvolvidos para um nicho de mercado, nesse caso para as meninas, são extremamente sensíveis, sutis e possuem doses de humor na medida. Doutora Brinquedos e Princesa Sofia são ótimas dicas para os meninos, por exemplo. Outra maravilha é poder mostrar às nossas crianças que as meninas podem e devem ser protagonistas, que são sim delicadas, sensíveis e muito, mas também muito determinadas ao sucesso.

Todavia, o mais importante é que elas não precisam dos homens para alcançar suas conquistas, nunca precisaram. Se for necessário, eles estarão ao seu lado e não à frente. Frozen é um maravilhoso exemplo disso.

Dia desses estávamos brincando de Lego quando a personagem Moana apareceu na TV. Bastaram segundos dela em tela para que o Davi parasse tudo e assistisse, pois é impossível não ser cativado por essa menina tão forte e carismática.

Sempre ouvi dizer por aí que determinada tarefa é de mulher, que os homens consertam as coisas em casa, que os meninos não brincam de boneca, que as meninas não podem vestir azul e por aí vai. Hoje temos um espaço maior para os debates, mas ainda sim deveríamos falar muito mais sobre pequenas questões do nosso cotidiano, principalmente o das crianças, para que o futuro da sociedade seja mais harmônico e saudável.

Acho importante que todos tenham suas crenças e métodos de educação em seus lares, mas tem uma coisa pela qual devemos lutar até o fim e tornar comum em todos os lugares: a liberdade.

As crianças devem ser altamente estimuladas ao pensamento crítico, análise imparcial, conhecimento político e financeiro e, principalmente, serem inseridas socialmente, admitindo que a diversidade é positiva para todos. Também é importante que, além de entender e aceitar a miscelânea do nosso mundo deve-se participar ativamente das quebras de paradigmas. A partir da liberdade, os jovens conseguirão reger seus pensamentos de maneira independente e, com isso, irão saborear a vida com suas próprias experiências.

Devemos deixar os pequenos e pequenas vivenciarem e sentirem quais os seus papeis em nosso mundo e os filmes podem ajudar nesse processo de maneira muito delicada, pois eles possuem um engajamento social positivo e é, a partir disso, que as ideias de liberdade e sociedade construtiva serão potencializadas. Não existe filme de menina, não existe animação de menino. Tudo é uma coisa só e vamos assistir todos juntos.


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

The following two tabs change content below.

Bruno Prates

É o pai do Davi e, por isso, está por dentro de tudo que rola no mundo dos pequeninos. Curte animações, comédias, rock n' roll, cultura pop e não dispensa uma boa maratona de séries e filmes. No cinema, é fã do Michael Richards, Jerry Seindfeld, Leslie Nielsen, Jim Carrey e Adam Sandler. Também aprecia o trabalho do Tarantino e considera que ele é o melhor diretor da atualidade. Na música, tem como maiores ídolos Dave Grohl, James Hetfield, Paul McCartney, Freddie Mercury e John Bonham.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close