Bode na Sala
Críticas Destaque Filmes Netflix

Lá Vêm os Pais | Crítica

Confira a opinião de Carlos Redel sobre a nova comédia de Adam Sandler!

Lá Vêm os Pais | Crítica

La Vêm os Pais (The Week Of)

Ano: 2018

Direção: Robert Smigel

Roteiro: Adam SandlerRobert Smigel

Elenco: Adam SandlerChris RockSteve BuscemiRachel DratchAllison StrongRoland Buck III

Em 2014, Adam Sandler assinou um contrato com a Netflix para produzir filmes exclusivos para o serviço de streaming. De lá para cá, fomos ‘presenteados’ com o tenebroso The Ridiculous 6, o fraco Zerando a Vida, o mediano Sandy Wexler e, agora, com a comédia de casamento Lá Vêm os Pais. Se você estiver pensando “ah, mas Os Meyorowitz: Família Não se Escolhe é muito bom”, saiba que esse filme (que, sim, é muito bom, mesmo) não está incluído no acerto entre o comediante e a Netflix, pois foi comprado, depois de pronto, pelo serviço de streaming.

Mas, voltando ao Lá Vem os Pais: a comédia conta a história do patriarca de uma família de classe média, Kenny Lustig (Sandler) que, para seguir a tradição, decide pagar pelo casamento de sua filha. No entanto, o pai do noivo é o renomado e bem-sucedido cirurgião Kirby Cordice (Chris Rock). Se você está imaginando que a trama se desenvolverá totalmente na diferença entre as classes sociais, não está totalmente errado, mas nem totalmente certo.

O personagem de Sandler quer, sim, a todo custo, tentar fazer o melhor evento possível. E, obviamente, quer impressionar Kirby — como a arrumação às pressas do ‘melhor’ quarto do hotel da cidade para receber o hóspede ilustre deixa claro. Apesar disso, a trama é muito mais focada na bagunça que é a família Lustig do que na disputa entre os pais dos noivos, como o título nacional quer dar a entender. O personagem de Rock, inclusive, é bem subaproveitado no longa.

Como a maioria dos filmes estrelados por Sandler, a busca pela comédia vem de momentos constrangedores, deixando de lado qualquer mínimo esforço cerebral. E isso não é uma coisa ruim — afinal, quem não gosta de desligar um pouco e rir de coisas bobas, né? No entanto, Lá Vêm os Pais não tem qualquer intenção de trazer piadas novas, mesmo que sejam constrangedoras. Inclusive, o filme consegue trazer alguns momentos deploráveis, como quando o protagonista, ao receber a família do noivo, que é negro, em sua casa, acredita que dois homens que estão passando na rua são parentes e, por isso, os coloca para dentro. O motivo da confusão? A dupla era negra. Lamentável.

A direção de Robert Smigel até se sobressai em alguns momentos, usando bastante câmera na mão e planos mais longos, ajudando na imersão do espectador naquela bagunça que se torna a casa dos Lustig nas vésperas do casamento. Mas não há técnica que consiga consertar um roteiro ruim. Todas as piadas que vemos no filme já foram usadas por diversas vezes, incluindo fazer com que o personagem idoso leve pancadas inúmeras vezes ou momentos nojentos envolvendo peidos.

A qualidade de Lá Vêm os Pais fica bem abaixo do que poderia ser e dificilmente consegue arrancar alguma risada digna. E o que mais impressiona é ver Sandler, que volta e meia se mostra um ótimo ator, como no já citado Os Meyerowitz, continuar insistindo em estrelar longas tão abaixo do seu talento. E a Netflix? Bem, os filmes do comediante estão entre as produções mais assistidas do serviço de streaming e, se isso não mudar, provavelmente, teremos muito mais comédias fracas de onde veio essa. Uma pena, todos mereciam mais.

Nota do crítico:

 

Nota dos usuários:

[Total: 30    Média: 2.8/5]


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

The following two tabs change content below.
Jornalista e radialista, é um dos fundadores do Bode na Sala. Tem 25 anos, se orgulha de ter nascido em São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, e, atualmente, mora em Porto Alegre. Trabalhou em todas as áreas que se pode imaginar, mas acabou caindo no submundo geek. É fã do Jim Carrey, acha que o Ben Affleck é o melhor Batman do cinema, não suporta pseudo-cultismo e pretende dominar o mundo.

Comments

  1. Ao assistir um filme de comédia, e deixar-se levar pelo politicamente correto, já sei que não passa de um ignorante sistemático.

    O filme é muito bom, e ri muito. Sua análise está exagerada e sem noção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close