Bode na Sala
Críticas Filmes

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi | Crítica

Confira a opinião de Rafael Bernardes sobre o longa de Dee Rees!

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi | Crítica

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi (Mudbound)

Ano: 2017

Direção:  Dee Rees

Roteiro: Virgil WilliamsDee Rees

Elenco: Carey MulliganGarrett HedlundJason Clarke, Jonathan BanksJason Mitchell, Mary J. BligeRob Morgan

Segunda Guerra Mundial, em uma época onde não existe mais escravidão. Pelo menos, não deveria existir. Quando houve a abolição, os trabalhadores negros foram “libertados”. Agora as pessoas teriam suas próprias terras, seu próprio negócio, certo? Errado! O que mudou e persistiu durante décadas foi apenas o pagamento. Agora eles recebiam algum dinheiro pelo seu trabalho, mas muitos ainda viviam nas terras de pessoas brancas, tendo que se submeter a trabalhos maçantes por pouco dinheiro. Acidente de trabalho? Era problema do emprego, que deveria cumprir o prazo de entrega do serviço a qualquer custo. Uma realidade que não mudou muito nos dias de hoje em muitos lugares do mundo.

Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi retrata a realidade da guerra mesclando com a vida de pessoas negras e pobres do campo. A segregação nos anos 1940 já foi retratada diversas vezes, mas a situação em regiões pouco urbanizadas ainda era muito semelhante à escravidão. A direção de Dee Rees facilita a compreensão sobre esse fato com planos estendidos, retratando o sofrimento de quem era tratado de forma diferente por conta da cor de sua pele. Destaque para a direção de fotografia, que não se preocupa em iluminar muito as paisagens, sendo coerente com o que acontece em tela. Cores mais vivas são colocadas em poucos momentos de alegria dos personagens.

O longa conta a história de duas famílias: os McAllan (brancos ricos) e os Jackson (negros pobres), mas a divisão muitas vezes não é justa. A primeira família citada tem mais tempo em tela, justamente para mostrar a podridão em que ela está instalada. Personagens bem construídos e ótimas interpretações deixam o filme carregado de emoções na maior parte do tempo. Henry (Jason Clarke), o atual patriarca, marido de Laura (Casey Mulligan), irmão de Jamie (Garret Hedlund) e filho de Papa (Jonathan Banks), contém algumas camadas e podemos entender o personagem, mesmo não concordando com nenhuma de suas atitudes. A esposa está encaixada no mesmo caso, assim como o irmão. Para, um homem mais velho e ainda mais retrógrado, parece ser aquele coadjuvante unidimensional, mesmo demonstrando afeto em alguns momentos de uma forma estranha.

Do outro lado, temos a ótima interpretação de Mary J. Blige, dando vida a Florence, o pilar da família Jackson. Hap (Rob Morgan) é o patriarca, que cuida da família na parte financeira. Personagem muito bem explorado. Ronsel (Jason Mitchell) é o primogênito que, assim como Jamie, vai para a guerra. A relação dos dois personagens é bem desenvolvida, mostrando os traumas que a guerra traz. São muitas coisas colocadas em um só filme: racismo, guerra, relacionamentos abusivos, amor, escravidão. Por conta disso, a produção acaba se apressando para poder falar sobre cada um deles.

O primeiro ato é excelente, o segundo, mantém o nível, com um ótimo ritmo, mas a história acaba se perdendo um pouco quando o desfecho está próximo. O terceiro ato é confuso por muitas vezes, com imagens sendo jogadas gratuitamente em tele e ações incoerentes de determinados personagens. Algumas conveniências são colocadas, apenas para que as coisas cheguem aonde devem chegar. O resultado da trajetória de alguns personagens é ilusório, gerando um sentimento de descrença, pois não mostram como o resultado foi atingido. Nos faz pensar que determinadas atitudes poderiam ter sido tomadas em qualquer momento, evitando determinados momentos e situações ruins.

Mesmo com esses problemas no desfecho da história, Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississippi é um filme extremamente eficiente nos pontos que quer abordar, nas críticas que deseja fazer, sendo essencial para quem se interessa pela história americana e quer ampliar a sua visão de mundo.

Nota do crítico:

Nota dos usuários:

[Total: 0    Média: 0/5]


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

 

The following two tabs change content below.
Jornalista, pretende seguir carreira como crítico de cinema. Gosta de dar opinião sobre tudo. Reside em Belém Novo, fim do mundo de Porto Alegre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close