Bode na Sala
Especiais Filmes

Especial | 11 grandes festas do cinema

O cinema também gosta de uma farra digna do Carnaval!

Especial | 11 grandes festas do cinema

Um fato é inegável: o brasileiro ama uma festa! Não é à toa que em todo ano, o Brasil para por 4 dias para sua festa favorita: o Carnaval! Pensando nesta época festeira, nós do Bode na Sala decidimos entrar no clima e resolvemos separar alguns filmes que se passam em festas.

Se você não é da folia e quer passar o feriadão prolongado em casa, pegue a sua pipoca e escolher uma festinha pra assistir!


O Grande Gatsby (2013)

O grandioso longa de Baz Luhrmann, baseado na obra de F. Scott Fitzgerald, conta a história do excêntrico e misterioso bilionário Jay Gatsby, vivido por um inspirado Leonardo DiCaprio. Na trama, que se passa nos 1920, o playboy é um mito conhecido por dar festas épicas para a sociedade, mas que, na verdade, é solitário e realiza os grandes eventos para chamar a atenção de Daisy (Carey Mulligan), o grande amor da sua vida. Grandiloquente e imersivo, o longa oferece festas animadíssimas para seus personagens e seus telespectadores, mesmo que sua mensagem final acabe sendo um tanto quanto vazia.


Superbad: É Hoje (2007)

Provavelmente, uma das melhores comédias dos anos 2000, Superbad: É Hoje acompanha a jornada de Seth (Jonah Hill), Evan (Michael Cera) e Fogell (Christopher Mintz-Plasse) para conseguir bebidas para levar para a festa última festa do ensino médio, que será na casa de Jules (Emma Stone). No entanto, para conseguir o álcool, o trio vai se meter em diversas encrencas, que vão desde uma identidade falsa suspeita, passando por perseguições com dois policiais pirados, uma festa com gente esquisita e muita confusão. Além disso tudo, temos a criação de um dos mais icônicos personagens dos últimos tempos: Mclovin.


Carrie, A Estranha (1976)

Carrie (Sissy Spacek) é uma menina meiga e inocente, até demais. Ela sofre muito nas mãos de seus colegas de escola e possui uma relação abusiva por parte de sua mãe. A menina começa a perceber que possui alguns dons paranormais e o longa passeia durante esse desenvolvimento. O ápice é o baile da escola, quando pregam uma peça terrível com a menina e coisas terríveis acabam acontecendo. Provavelmente, é o filme mais sombrio dessa lista. Baseado em um romance de Stephen King, o clássico dos anos 1970 arrepia muitas pessoas até hoje.


É o Fim (2013)

Seth Rogen e James Franco, os maconheiros inseparáveis, atacam em um filme surtado, contendo muita comédia do absurdo. O filme se passa quase que inteiramente na mansão de James Franco, onde está acontecendo uma grande festa, que reuniu diversos atores de Hollywood, cantores e artistas. A trama conta como tudo muda quando começa uma espécie de apocalipse, arrebatando as pessoas de bom coração. É claro que os personagens principais ficam na Terra, onde diversas criaturas estão destruindo tudo. A festa que começou com muitas drogas, sexo e curtição, acaba em mortes e diversas situações constrangedoras.


Gatinhas e Gatões (1984)

Neste clássico dos anos 80 dirigido por John Hughes (pra variar), Sam Baker (Molly Ringwald) acaba de completar 16 anos, mas tem um pequeno detalhe – ninguém se lembra que é o seu aniversário. Sua família e amigos parecem ter esquecido totalmente da data, deixando Sam frustrada. Apesar de não ter a festa de 16 anos que tanto desejava, a que aconteceu deu terrivelmente errado, Sam dividiu um momento com um seu crush, Jake (Michael Schoeffing), apenas com um bolo e um beijo, melhor do que qualquer coisa que ela poderia pedir.


Festim Diabólico (1948)

A fim de demonstrar sua superioridade, dois amigos assassinam um colega que consideram inferior e escondem o corpo em um largo baú. Este baú será a mesa de uma festa formal que os dois assassinos vão ser os anfitriões; nenhum dos convidados sequer suspeita que um crime ocorreu. Como qualquer obra exemplar de Alfred Hitchcock, Festim Diabólico apresenta aspectos técnicos a frente da sua época, com o filme inteiro sendo rodado para parecer um único take.


Vizinhos (2014)

Você começa a perceber que a idade chegou quando passa a reclamar de coisas às quais o alvo das reclamações antigamente era você. Seja sobre bagunça, contas ou, como neste caso: festas barulhentas. O casal Mac (Seth Rogen) e Kelly (Rose Byrne) teve um filho recentemente, e a mudança na rotina ainda não foi bem assimilada. Os dois que adoravam festas regadas a álcool e outros entorpecentes, até altas horas da madrugada, agora mal conseguem encontrar momentos de privacidade em casa, quanto mais curtir uma balada. A chegada dos novos vizinhos, que eles descobrem ser na verdade uma república de estudantes, liderada por Teddy (Zac Efron)  e Pete (Dave Franco) gera um misto de incômodo e inveja pelas festas que os jovens protagonizam. E quando, em um momento de raiva, eles tomam uma decisão precipitada, uma situação que podia ser contornada acaba saindo totalmente do controle.


Se Beber, Não Case (2009)

Ah, os casamentos. Normalmente são momentos emocionantes que vêm associados a uma deliciosa festa, cheia de comidas gostosas, bebidas liberadas a noite toda e muita dança. Mas algumas vezes, só algumas vezes, este momento tão mágico é antecedido pela sempre imprevisível “despedida de solteiro”. E esta festa mítica se torna ainda mais surpreendente quando organizada por amigos completamente insanos e inconsequentes. Em Se Beber, Não Case, o noivo Doug (Justin Bartha) vai para Las Vegas com seus amigos Phil (Bradley Cooper), Stu (Ed Helms) e Alan (Zach Galifianakis) para uma despedida de solteiro bem moderada. No entanto, na manhã seguinte, os amigos acordam em quarto de hotel com um tigre de verdade na sala, um bebê abandonado, um dente faltante e, o pior: o noivo está desaparecido. E nenhum deles tem a menor ideia do que aconteceu na noite passada. Então eles precisam refazer os passos da noite anterior para encontrar Doug e levá-lo a tempo para o seu casamento. Mas não vai ser fácil unir as peças de um quebra-cabeças formado de situações tão bizarras como as que eles protagonizaram.


Projeto X (2012)

Se algum dia lhe perguntarem como não deixar uma festa sair do controle, mostre Projeto X a esta pessoa. Seguindo o estilo de filmes found footage, temos aqui um grupo de amigos que aproveita que os pais de um deles estão viajando e decide organizar uma festa para se tornarem mais populares na escola. A ideia do longa é bem simples, mas os caminhos exagerados que o roteiro toma são surreais. É simplesmente a festa de um estudante mais épica que o mundo já viu!


Paraísos Artificiais (2012)

Este exemplar nacional coloca o espectador no mundo das raves e festas de músicas eletrônicas. Aqui acompanhamos Érika (Nathalia Dill) e Lara (Lívia de Bueno), duas jovens em um festival no Nordeste brasileiro onde a primeira trabalha como DJ. Lá elas conhecem Nando (Luca Bianchi) e os três vivem uma noite regada à drogas e experiências sexuais que marcaram suas vidas para sempre. Anos depois, Érika reencontra Nando em Amsterdã depois de anos afastados, mas somente ela sabe o motivo que levou a este afastamento.


Anjos da Lei (2012)

Baseada na clássica série de TV oitentista, o filme dirigido por Phil Lord & Christopher Miller coloca Jonah Hill e Channing Tatum na pele de dois policiais de polícia que devem reviver os tempos de ensino médio para investigarem a existência de uma nova droga sintética que os estudantes estão usando. Para conseguir a confiança do principal traficante (vivido por Dave Franco), a dupla organiza uma festa e fazem tudo o que um policial não devia fazer, como servir bebidas alcoólicas e drogas à menores de idade. É uma comédia de ação que vai fazer morrer de rir, e o melhor de tudo: tem uma continuação igualmente boa!


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

The following two tabs change content below.

João Vitor Hudson

João Vitor Hudson é um editor de vídeos que está se formando em Publicidade & Propaganda aos 21. Ama cinema desde quando desejava as férias escolares só pra assistir todos os filmes do Cinema em Casa e da Sessão da Tarde. Ainda não possui o hábito de ver filmes de terror e é um pouco leigo quando se trata de cinema nacional, mas é um carinha boa praça que não dispensa ver um filme. Fã confesso do Nolan, Aronofsky e da Pixar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *