Bode na Sala
Especiais Filmes Netflix

Dica de Quinta | 5 filmes para falar “Isso é tão Black Mirror” na Netflix

Ficções científicas pra quem gosta de sentir o impacto

Dica de Quinta | 5 filmes para falar “Isso é tão Black Mirror” na Netflix

Black Mirror teve a sua quarta temporada lançada e deixou um vazio naqueles que assistiram todos os episódios cedo demais. Felizmente, ficções científicas que abordam temas relevantes para a nossa sociedade e que causam reflexão e debate não é exclusiva da série, elas tem sido feitas há anos; é, tecnicamente, o motivo pelo qual a ficção científica foi criada. O Bode na Sala separou cinco filmes disponíveis na Netflix para suprir a falta de Black Mirror em nossas vidas.

  • Ex_Machina: Instinto Artificial (2015)

O teste de Turing consiste em testar a habilidade de uma máquina de exibir comportamento inteligente equivalente ou indistinguível ao de um humano. O filme acompanha Caleb Smith (Domhall Gleeson), programador de um mega mecanismo de pesquisa, que ganhou um sorteio para ir a instalação particular do dono (Oscar Isaac) recluso da companhia para conhecer sua nova e revolucionária invenção: uma inteligência artificial. Caleb deve aplicar o teste de Turing em Ava (Alicia Vikander), uma encantadora e nada menos do que impressionante robô, ao longo de uma semana para conseguir se relacionar com ela como se fosse humana. Dá-se início a um thriller envolvente e claustrofóbico onde são questionados os limites entre humano e máquina e até que ponto cada um pode chegar.

  • Ela (2013)

Do sempre excepcional Spike Jonze, Ela nos apresenta a Theodore (Joaquin Phoenix) que acabou de se divorciar de Catherine (Rooney Mara), seu amor desde a infância. Deprimido, Theodore compra um sofisticado sistema operacional (voz envolvente de Scarlett Johansson), projetado para se adaptar e evoluir, para ajudar a superar sua constante melancolia. A amizade dos dois cresce rapidamente e dá início a algo mais. Assim que o relacionamento fica romântico, os dois devem lidar com as limitações bem como a estranheza que causam a terceiros. Ela é um lindíssimo romance que captura com excelência a natureza e as dificuldades dos relacionamentos na era moderna com a ajuda de uma magnífica fotografia e uma apaixonante trilha sonora composta pelo Arcade Fire.

  • Minority Report (2002)

Baseado no conto de Philip K. Dick e dirigido por Steven Spielberg, a história não poderia ser mais Black Mirror. Em 2054, os EUA tem um sistema policial chamado Pré-Crime, graças a três humanos alterados que recebem visões do futuro, o sistema consegue prever os crimes antes que eles aconteçam e a taxa de assassinatos é reduzida a zero. Tom Cruise faz jus a sua reputação de correr, seu personagem, o policial John Anderton, é visto em uma das previsões assassinando um homem que nunca viu na vida, mas que, de alguma forma, tem relação com o desaparecimento de seu filho há muitos anos. O filme agrada fãs de ficção científica e fãs de filmes policias com tom aventuresco típico do Spielberg.

  • Matrix (1995)

Um dos filmes mais influentes, importantes e revolucionário dos últimos anos, Matrix inovou o cinema de maneira nunca antes imaginada. As Irmãs Wachowski ousaram e fizeram o filme tecnicamente impecável – os avanços das tecnologias de filmagens foram sem precedentes Com o roteiro complexo, cheio de significados e mensagens relevantes sobre a nossa sociedade, somos apresentados a Neo (Keanu Reeves), um jovem hacker que é apresentado à realidade como ela realmente é: um lugar dominado por máquinas em que quase todos os humanos vivem em uma ilusão e poucos escolhem ficar e lutar. Matrix dispensa comentários.

  • O Fantasma do Futuro: Ghost in the Shell (1995)

Um dos animes mais influentes já feitos, Ghost in the Shell inspirou clássicos da ficção científica como o já citado Matrix e A.I. – Inteligência Artificial. Em 2029, os avanços cibernéticos resultam na Major Motoko Kusanagi. Onde antes existia uma mulher, agora é um corpo quase que totalmente substituído por partes sintéticas. Ela não se lembra de seu eu anterior, sequer se sente humana e agora é líder do Esquadrão Shell, cuja última missão é achar o Mestre das Marionetes, um hacker com a capacidade de controlar corpos. Ghost in the Shell foi revolucionário na época em que foi lançado. O filme apresenta conquistas para a animação, sequências de ação inimagináveis e aborda temas relevantes depois de todos esses anos como identidade, natureza humana e evolução.

Este especial contou com a participação de João Vitor Hudson. 


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

The following two tabs change content below.
Estudante de jornalismo, tem 18 anos e é assistidor de séries semi profissional. Fissurado em cinema desde sempre, nunca trabalhou na área e é adepto ao estilo sul-coreano de vingança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *