Bode na Sala
Especiais Filmes

Especial | 15 filmes que são adaptações de HQs e que você provavelmente não sabia

Nem só de super-heróis vivem as HQs (e os longas baseados nelas)!

Especial | 15 filmes que são adaptações de HQs e que você provavelmente não sabia

Atualmente, existe uma série de adaptações de HQs de super-heróis tomando conta dos cinemas – e faturando altíssimo! No entanto, nem só Vingadores ou Liga da Justiça saem das páginas dos quadrinhos e vão parar nas telonas. Existe uma grande quantidade de longas que são baseados em produções da nona arte e que muitas pessoas não sabem.

Confira esses 15 exemplos que separamos:


  • O Máskara (1994)

É quase impossível desvincular a imagem do Máskara da versão interpretada por Jim Carrey, mas o ator dificilmente seria o protagonista do filme se este fosse fiel ao material original. Na história em quadrinhos criada por  Mike Richardson, Mark Badger, John Arcudi e Doug Mahnke, o personagem era bem mais violento, sádico e suas histórias envolviam violência doméstica e massacres. O filme mudou completamente o tom da narrativa enquanto manteve os absurdos e as insanidades do protagonista, uma decisão acertada uma vez que foi um sucesso de crítica e público: com o orçamento de US$ 23 milhões, arrecadou surpreendentes US$ 351,6 milhões. 11 anos depois, o filme ganhou uma continuação sem Jim Carrey e que foi um fracasso absoluto, não conseguindo nem arrecadar o valor de seu orçamento.


  • MIB – Homens de Preto (1999 – 2013)

As histórias em quadrinhos dos Homens de Preto nasceram das teorias da conspiração de que o governo escondia a atividade alienígena que acontece no planeta. Foram publicadas três edições entre 1990 e 1991 pela Aircel Comics, que mais tarde seria comprada pela Malibu Comics, que por sua vez foi comprada pela Marvel. Apesar do tom divertido empregado pelos filmes de Barry Sonnenfeld, que se beneficiam do timing cômico de Will Smith e a sua química com Tommy Lee Jones, as HQs tem um tom bem mais sombrio: os agentes usam de morte e destruição para conseguir alcançar os seus objetivos e a missão da agência é remodelar o mundo à sua visão. Outra diferença notável é que o filme e a série se resumem apenas aos alienígenas, enquanto os quadrinhos têm a presença de lobisomens, vampiros, demônios, zumbis e outras criaturas. O primeiro filme teve um orçamento de US$ 90 milhões e, sucesso absoluto, arrecadou US$ 589,4 milhões, garantindo suas duas sequências, igualmente bem sucedidas.


  • Do Inferno (2001)

Antes de virar filme pelas mãos dos irmãos Hughes, em 2001, Do Inferno era uma HQ de Alan Moore, publicada entre os anos de 1989 e 1996 (ganhando uma edição única em 1999), que contava a história dos assassinatos de Jack, o Estripador. Na trama do longa, o inspetor Frederick Abberline (Johnny Depp), acaba entrando – juntamente com seus poderes psíquicos – na caçada pelo famoso assassino de mulheres nas ruas de Londres do século XIX. Com recepções mista dos críticos, Do Inferno teve um orçamento estimado de US$ 35 milhões e arrecadou pouco mais de US$ 74 milhões em bilheteria ao redor do mundo.


  • Ghost World (2001)

Antes de fazer parte do Universo Marvel, Scarlett Johansson atuou em outra adaptação de HQ: Ghost World. Baseado no quadrinho de Daniel Clowes, o filme conta uma história de amadurecimento na adolescência de Enid (Thora Birch), que desenvolve uma relação incomum com Seymour (Steve Buscemi), um solitário colecionador de discos antigos. O longa é pouco conhecido, mas acabou se tornando um ícone cult, tendo até sindo indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Adaptado.


  • Estrada para a Perdição (2002)

Dirigido por Sam Mendes, Estrada para a Perdição é adaptado de uma história em quadrinhos homônima, de 1998, escrita por Max Allan Collins e ilustrada por Richard Piers Rayner, que foi publicada pela DC Comics sob o seu selo Paradox Press. Na trama, que se passa durante a Depressão, Mike Sullivan (Tom Hanks) trabalha para o gângster John Rooney (Paul Newman), que o criou como um filho. No entanto, o herdeiro de sangue de Rooney, Connor (Daniel Craig), com ciúmes dessa relação, se aproveita de um incidente para matar a mulher e um dos dois filhos de Sullivan. Enquanto isso, um assassino profissional, Harlen Maguire (Jude Law), começa a perseguir Sullivan e seu filho, com o objetivo de matá-los sob mando de Connor. O filme, que teve um orçamento de US$ 80 milhões e um bilheteria mundial de US$ 180 milhões, é um dos grandes êxitos de Sam Mendes, além de se tratar da última atuação no cinema de Paul Newman.


  • Oldboy (2003)

Dirigido por Park Chan-Wook, o longa faz parte da Trilogia da Vingança, composta por outros dois filmes: Mr. Vingança e Lady Vingança. O que poucos sabem é que o longa foi baseado no mangá com o mesmo título, publicado pela editora Nova Sampa, escrito por Garon Tsuchiya e ilustrado por Nobuaki Minegishi. Na trama, Oh Dae-su (Choi Min-sik) é um homem comum, bem casado e pai de uma garota de 3 anos, que é levado a uma delegacia por estar alcoolizado. Ao sair, ele liga para casa de uma cabine telefônica e logo em seguida desaparece, deixando como pista apenas o presente de aniversário que havia comprado para a filha. Pouco depois ele percebe estar em uma estranha prisão. Depois de 15 anos aprisionado, ele é liberado e seu raptor lhe dá um objetivo: Oh Dae-su tem uma semana para descobrir quem ele é e se vingar. Com um baixo orçamento de US$ 3 milhões, arrecadou US$ 15 milhões.


  • Marcas da Violência (2005)

Em 2005, ninguém menos que David Cronenberg levou às telonas a história da graphic novel A History of Violence, escrita por John Wagner e ilustrada por Vince Locke, publicada em 1997 pela DC Comics sob o selo Paradox Press, também responsável por Estrada para a Perdição. Na trama, um pacato e simpático pai de família, Tom Stal (Viggo Mortensen), possui uma lanchonete numa cidadezinha norte-americana, até que o seu passado obscuro seja trazido à tona depois que mata dois assaltantes que queria roubar o seu estabelecimento. A situação logo chama atenção da imprensa e também de outros criminosos vindos de Nova York. Para a surpresa da esposa de Tom (Maria Bello), os mafiosos afirmam conhecer Tom de longa data, além de dizerem que o nome dele na verdade é outro e que possuem assuntos mal resolvidos. Com um orçamento de US$ 32 milhões, o filme arrecadou pouco mais de US$ 60 milhões, além de conquistar a crítica.


  • Fonte da Vida (2006)

Fonte da Vida é aquele filme que você ama ou não entende (brincadeira, ou odeia). Considerado cult hoje em dia, ele é complexo e provoca a reflexão, além de serum dos primeiros sucessos do diretor Darren Aronofsky. O que poucos sabem é que Aronofsky foi o escritor da HQ que deu origem ao filme, ilustrada por Kent Willians, lançada pelo selo Vertigo, subdivisão da DC Comics. O filme se inicia com uma citação da Bíblia, uma epígrafe relativa à árvore do conhecimento e à árvore da vida. O enredo se desenvolve em três épocas, sem uma clara definição de limites entre realidade e ficção. O longa custou US$ 35 milhões e arrecadou US$ 16 milhões.


  • 30 Dias de Noite (2007 – 2010)

A minissérie de terror em três edições foi escrita por Steve Niles, ilustrada por Ben Templesmith e lançada pela IDW em 2002. A trama acompanha os moradores de uma pequena cidade do Alaska que se veem rodeados por vampiros durante um fenômeno natural em que o sol desaparece por 30 dias. O filme comandado por David Slade captura toda a tensão vivida pelos personagens desesperados pela sobrevivência e traz ótimos nomes no elenco como Josh Harnett, Ben Foster e Manu Bennet. Mesmo sendo um sucesso de bilheteria, o filme arrecadou US$ 75 milhões de um orçamento de US$ 30 milhões, a sequência foi lançada diretamente em DVD e nenhum dos evolvidos retornou, inclusive Melissa George, que interpretou a sobrevivente Stella Oleso, foi reescalada; quanto ao segundo filme em si, é terrível.


  • Azul é a Cor Mais Quente (2013)

Em 2013, Abdellatif Kechiche trouxe para as telonas uma adaptação de um quadrinho homônimo, escrito pela Julie Maroh, publicado na França em 2010 pela editora Glénat. Falando sobre a vida e o amor de duas jovens lésbicas, temos uma das adaptações mais ousadas dos últimos anos, já que o diretor abusou da sensualidade de suas atrizes (Léa Seydoux e Adèle Exarchopoulos) em extensas cenas de sexo. O longa foi premiado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes, fora o enorme sucesso mundial que a obra alcançou. Mesmo com um enredo simples e suas três horas de duração, o filme formou uma legião de fãs, mas poucos sabem que a obra é baseada em um quadrinho. A adaptação custou cerca de US$ 4,7 milhões e arrecadou quase US$ 20 milhões.


  • Expresso do Amanhã (2013)

Expresso do Amanhã foi dirigido por Bong Joon-ho e contou com nomes como Chris Evans, John Hurt, Tilda Swinton e Octavia Spencer em seu elenco. O longa foi baseado na HQ intitulada O Perfuraneve, lançada pela editora Casterman, escrita por Jacques Lob e Benjamin Legrand e ilustrada por Jean-Marc Rochette. Na trama, quando um experimento para impedir o aquecimento global falha, uma nova era do gelo toma conta do planeta Terra. Os únicos sobreviventes estão a bordo de uma imensa máquina chamada Snowpiercer. Lá, os mais pobres vivem em condições terríveis, enquanto a classe rica é repleta de pessoas que se comportam como reis. Até o dia em que um dos miseráveis resolve mudar o status quo, descobrindo todos os segredos deste intrincado maquinário. O longa custou US$ 40 milhões e arrecadou US$ 86,8 milhões.


  • Kingsman – Serviço Secreto (2014 – 2017)

Depois de Kick-Ass, Kingsman – Serviço Secreto foi a próxima graphic novel de Mark Millar a ser adaptada para o cinema por Matthew Vaughn. Lançado pela Icon Comics em 2012 e ilustrada por Dave Gibbons, a história em quadrinhos difere muito dos filmes, em que não só não existe a figura do Galahad (Colin Firth) como toda a hierarquia baseada nos Cavaleiros da Tábula Redonda. As duas histórias começam com o sequestro de celebridades (nos quadrinhos, Kingsman se passa no mesmo universo de Kick-Ass, com os sequestros sendo mencionados em Kick-Ass 3), o Professor James Arnold (Mark Hamill, um dos sequestrados das HQs) é o vilão trama ao invés do divertido Richmond Valentine (Samuel L. Jackson). Eggsy (Taron Egerton) continua sendo o protagonista, mas na obra original ele é sobrinho do agente Jack London, equivalente do Galahad. O filme foi um sucesso inusitado, arrecadando US$ 400 milhões de dólares, o que garantiu a sequência Kingsman: O Círculo Dourado, além de um terceiro filme pode estar por vir.


  • Operação Big Hero (2014)

 

A animação de super-heróis da Disney conta a história da amizade entre Hiro, um garoto prodígio da ciência, e o robô médico Baymax. Mas uma coisa que pouca gente sabe é que Operação Big Hero é baseado em um supergrupo da Marvel Comics. O Big Hero 6 original era formado por Samurai de Prata, Polaris, GoGo Tomago, Honey Lemon, Hiro Takachiho e o Baymax. Por questões de direitos autorais, o grupo sofreu algumas alterações, mas isso não impediu o filme de ser um sucesso, tendo faturado quase US$ 650 milhões mundialmente em bilheteria, sendo que o seu orçamento foi de US$ 165 milhões.

 


  • Atômica (2017)

Filme de ação hit de 2017, Atômica foi baseado em A Cidade Mais Fria, graphic novel de 2012 escrita por Antony Johnson. As duas obras se passam em Berlim, no auge da Guerra Fria, onde uma lista que contém o nome de todos os agentes duplos deve ser recuperada e cabe a Lorraine Broughton (Charlize Theron, fenomenal) impedir que esses dados caiam en mãos erradas. A adaptação foi aclamada por suas magníficas cenas de ação, sendo bastante comparada a John Wick, que divide o mesmo diretor, reviravoltas e pela trilha sonora que reúne grandes clássicos dos anos 1980. Com um orçamento de US$ 30 milhões, o longa arrecadou US$ 96,7 milhões.


  • Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (2017)

O mais novo longa de Luc Besson é uma grande aventura baseada nos quadrinhos Valérian et Laureline, criado por Pierre Christin e Jean-Claude Mézières. A HQ francesa de space opera é considerada um marco da cultura pop, tendo influenciado grandes obras do gênero, como Star Wars e O Quinto Elemento, este último sendo dirigido pelo próprio Besson. No entanto, o sci-fi estrelado por Dane DeHaan e Cara Delevingne não se deu muito bem. Com um orçamento estimado em US$ 177,8 milhões, a bilheteria final foi de apenas US$ 225 milhões. Apesar da baixa recepção, Besson se mostrou otimista e disse que pretende fazer uma continuação (mais barata!) do filme baseado em sua HQ favorita.


Especial elaborado com a colaboração de Carlos Redel, Ítalo Passos, João Vitor Hudson e Rafael Bernardes.


 

The following two tabs change content below.
Estudante de jornalismo, tem 18 anos e é assistidor de séries semi profissional. Fissurado em cinema desde sempre, nunca trabalhou na área e é adepto ao estilo sul-coreano de vingança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *