Bode na Sala
Críticas Filmes

Assassinato no Expresso do Oriente | Crítica 2

Confira a opinião de Rafael Bernardes sobre a adaptação da obra de Agatha Christie!

Assassinato no Expresso do Oriente | Crítica 2

Assassinato no Expresso do Oriente (Murder on the Orient Express)

Ano: 2017

Direção: Kenneth Branagh

Roteiro: Michael Green

Elenco: Kenneth Branagh, Johnny Depp, Michelle Pfeiffer, Josh Gad, Derek Jacobi, Penélope Cruz, Willem Dafoe, Daisy Ridley

Baseado no livro homônimo de Agatha Christie, Assassinato no Expresso do Oriente conta a história de Hercule Poirot (Kenneth Branagh), considerado como o melhor detetive do mundo. O homem é descrito diversas vezes como gênio por personagens secundários e o diretor (que também é Branagh), utiliza do exagero para mostrar o quão “badass” o protagonista é.

O detetive acaba de solucionar um caso e quer descansar, mas um chamado o faz pegar o Expresso do Oriente. Logo, somos apresentados aos passageiros, todos extremamente estereotipados. A intenção é mostrar de cara a índole de cada um, para provocar surpresa futuramente. O longa encanta por sua beleza, com uma fotografia que realça a cor branca da neve e dá a sensação de que o clima no local é realmente muito frio.

O elenco em geral está muito bem. Destaque para Daisy Ridley e Michele Pfeiffer, que possuem muita presença de cena. Branagh também apresenta uma atuação consistente. O ponto negativo do cast fica por conta de Johnny Depp, que interpreta ele mesmo e com trejeitos de seus personagens antigos. A direção do longa é muito bem executada, com planos abertos belíssimos e planos longos que passam a adrenalina necessária para determinada cena.

Os pontos negativos do longa (que não são poucos) estão, em sua maioria, no roteiro. O desenvolvimento da trama é apressado, fazendo com que não tenhamos tempo para digerir informações. Além disso, fatos são atirados, sem a devida explicação de como foram descobertos. O filme também peca na explicação exagerada em outros momentos, fazendo com que personagem narrem acontecimentos, ao invés de apenas mostrá-los. Alguns diálogos são muito teatrais, tirando a imersão do espectador. O peso dos acontecimentos acaba sendo prejudicado, por uma falta de crença que ocorre por causa dos problemas de roteiro.

Apesar disso, se trata de um bom filme, com uma história interessante e uma ótima direção. No conjunto da obra, Assassinato no Expresso do Oriente entrega um bom divertimento, com algumas surpresas e cenas que se tornam colírios para os olhos. Mesmo com o exagero, é possível imergir no que está sendo contado e passar quase duas horas tenso e curioso para saber quem é o assassino.

Nota do crítico:

Nota dos usuários:

[Total: 3    Média: 2.3/5]

The following two tabs change content below.
Estudante de Jornalismo, formado em Programação. Fanático por Cinema, começou a gostar mesmo da sétima arte depois de velho. Estuda por conta própria e pretende seguir “carreira” como Crítico de Cinema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *