Bode na Sala
Críticas Filmes

Gosto se Discute | Crítica

Confira a opinião de Thiago Pedruzzi sobre a comédia nacional estrelada por Cássio Gabus Mendes e Kéfera Buchmann!

Gosto se Discute | Crítica

Gosto se Discute

Ano: 2017

Direção: André Pellenz

Roteiro: André Pellenz

Elenco: Cássio Gabus Mendes, Kéfera Buchmann, Gabriel Godoy, Paulo Miklos

Ultimamente, temos um aumento, tanto da TV aberta como em canais fechados, do consumo de programas de televisão de receitas, competições e reality shows com a culinária como carro-chefe. Gosto se Discute aproveita bem esse momento e tem bastante influência dessas atrações, mostrando o dia a dia de um restaurante e as dificuldades que podem ocorrer com as mudanças de comportamento do consumidor.

A comédia conta a história de um renomado chef de cozinha, Augusto (Cássio Gabus Mendes), dono de um restaurante que teve um grande sucesso no passado, mas que já está há um certo tempo em baixa. Grande parte dessa crise foi originada pelo food truck de um de seus ex-ajudantes, Patrick (Gabriel Godoy), que fica exatamente na praça em frente ao restaurante de Augusto. Com muitas dificuldades financeiras e com um banco como sócio do seu estabelecimento, o chef se vê encurralado e tendo que aceitar que a nova (e muito exigente) gerente, Cristina (Kéfera Buchmann), assuma toda operação financeira do restaurante.

Praticamente, todo o filme tem o restaurante do chef como cenário, salvo apenas uma sequência em que a locação é um mercado popular, além de alguns planos do lado de fora do estabelecimento. Não que isso seja ruim, mas limita bastante as ações e o andamento do roteiro, por ter que acontecer tudo naquele espaço, inclusive, algumas consultas médicas e acontecimentos importantes da trama, que poderiam ter outra ambientação que não o interior do restaurante.

Apesar dessa limitação de espaço, o filme tem uma fotografia bem moderna e foge do comum, o que deixa a estética fora do habitual “modo novela” de muitas comédias brasileiras. Em alguns planos, principalmente quando o chef está cozinhando, tem um movimento de câmera na mão que o tira um pouco do trivial e deixa a sensação que aquele momento é apenas dele.

Para uma comédia, confesso que senti falta de cenas mais engraçadas. Até tem alguns momentos que são bem divertidos, mas são previsíveis e, muitas vezes, fracos. Como é uma comédia de estereótipos, que tem o fiscal corrupto, os funcionários da região sul e o da região norte do Brasil, o garçom que só reclama e foge do trabalho, etc., o engraçado mesmo é o reconhecimento desses estereótipos do que as piadas em si.

O filme deixa bastante a desejar e tem algumas atuações muito teatrais, com reações exageradas, tanto de atores coadjuvantes, que não comprometem tanto por terem pouco texto, como da atriz principal, Kéfera Buchmann. Essa oscila muito de uma cena para outra, representando muito bem e se destacando em um momento e, logo em seguida, parecendo muito artificial e que não tem o texto decorado.

No geral, Gosto se Discute é uma quase comédia que funciona razoavelmente bem dentro de seu contexto. Assim, é uma excelente pedida para assistir na televisão aberta, num domingo à tarde, quando se está quase dormindo no sofá da sala.

Nota do crítico:

Nota dos usuários:

[Total: 1    Média: 4/5]

The following two tabs change content below.

Latest posts by Thiago Pedruzzi (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close