Bode na Sala
Especiais Filmes

Dica de Quinta | Animações na Netflix para assistir com as crianças

Separamos cinco filmes para curtir em família!

Dica de Quinta | Animações na Netflix para assistir com as crianças

As animações, cada vez mais, estão adotando uma interessante linguagem, conseguindo atrair as crianças para a sua história principal, mas, também, os adultos. Isso porque empregam uma série de referências e homenagens a clássicos do cinema ou mensagens que somente os mais velhos entenderão, mas sem prejudicar a experiência dos pequenos. Sendo assim, separamos cinco dessas produções, que estão na Netflix, para pais e filhos curtirem juntos!

Confira:


  • Rango (2010)

Essa animação vencedora do Oscar é estranha e, ao mesmo tempo, genial. Primeiramente, ela nos apresenta personagens pouco agradáveis aos olhos, diferente do que estamos acostumados, como nas produções da Disney, em que os protagonistas, quase sempre, são simpáticos e bonitinhos. Aqui, o herói, Rango, é um camaleão com uma camisa floreada, barrigudinho e com olhos que são independentes, ou seja, se fixam em coisas distintas, causando ainda mais estranhamento ao espectador. E é assim com todos os animais que aparecem no longa. Todos feios, mas muito humanizados. Além disso, a película de Gore Verbinski (Piratas do Caribe) é um deleite de referências para os adultos, homenageando diretamente os filmes de western, com destaque para os de Sergio Leone e o seu Pistoleiro Sem Nome, vivido por Clint Eastwood. A animação investe em ótimas sequências de ação, em uma interessante mensagem sobre encontrar o seu lugar no mundo e na batida, mas sempre bem-vinda, luta do povo contra os poderosos que querem tirar proveito dos indefesos.


  • Coraline e o Mundo Secreto (2009)

Baseada na obra de ninguém menos que Neil Gaiman, essa belíssima animação em stop-motion, do mesmo diretor de O Estranho Mundo de Jack, Henry Selick – se você achava que o filme era de Tim Burton, bom, deve ter sido um choque, né? – conta a história de Coraline, uma menina que acaba se mudando com os pais para uma espécie de pensão, que é afastada da cidade. Ali, a menina, entediada e sem receber atenção de seus pais, que só trabalham, acaba encontrando uma porta secreta, que a leva para um mundo alternativo, em que ela recebe todo o carinho possível de seus parentes, além de descobrir vizinhos mais interessantes, bem diferentes dos reais. Apesar da maravilha desse lugar, logo a menina descobre que, para ficar ali, precisará trocar os seus olhos por botões e, assim, ela percebe que as coisas não são tão boas quanto ela imaginava e começa a correr um perigo real. Esteticamente impecável e com uma lição muito importante nos dias de hoje, Coraline e o Mundo Secreto é indispensável!


  • Frankenweenie (2012)

Outra animação em stop-motion e, dessa vez, realmente dirigida por Tim Burton, Frankenweenie é, sim, um filme da Disney, mas bem diferente daquilo que estamos acostumados do estúdio. Versão em longa-metragem de um curta de Burton, lá de 1984, o longa trabalha, principalmente, com a nostalgia. Na trama, Victor Frankenstein é um garoto que tem em seu cachorrinho Sparky o seu melhor amigo, uma vez que não socializa bem na escola. Após um trágico acidente, o animalzinho acaba morrendo. Assim, Victor, acaba usando um experimento para trazer o seu companheiro de volta – e dá certo! O filme busca homenagear as clássicas obras de monstros, além de investir em uma estética linda e uma interessante mensagem sobre luto e amizade. É um prato cheio para os fãs de Burton.


  • Ponyo: Uma Amizade que Veio do Mar (2008)

O estúdio Ghibli é, provavelmente, um dos mais importantes provedores de lindas histórias para o cinema. Sempre entregando animações com uma belíssima estética e com mensagens mais belas ainda, em Ponyo, o estúdio investe em um conto inocente, com uma pegada bem mais infantil que os seus outros trabalhos e que, com certeza, encantará crianças e adultos. A trama do filme é, basicamente, a de uma peixinho-dourado que foge do fundo do mar para conhecer o mundo da superfície, mas, infelizmente, acaba ficando presa na poluição dos seres humanos. No entanto, Sosuke, um garotinho de cinco anos, encontra Ponyo e a salva. Assim, surge uma linda, mágica e sincera história de amor, da maneira mais linda e pura que poderia ser.


  • Detona Ralph (2012)

Certamente, o mais comercial dessa lista, Detona Ralph é um achado e por isso está aqui. A animação consegue ser eficiente de muitas maneiras, desde sua homenagem aos clássicos jogos de videogame, passando por uma valorização daquilo que é considerado obsoleto e, como mais importante, sobre não deixar que o meio em que a pessoa está inserida diga o que ela pode e o que não pode ser. Na trama, conhecemos Ralph, um personagem de videogame que está cansado de ser desprezado em seu próprio jogo de fliperama. Para ganhar reconhecimento de todos os outros personagens do seu mundo, o vilão sai, de jogo em jogo, buscando uma medalha, com a intenção de provar, assim, o seu valor.


 

The following two tabs change content below.
Jornalista e radialista, é um dos fundadores do Bode na Sala. Tem 25 anos, se orgulha de ter nascido em São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, e, atualmente, mora em Porto Alegre. Trabalhou em todas as áreas que se pode imaginar, mas acabou caindo no submundo geek. É fã do Jim Carrey, acha que o Ben Affleck é o melhor Batman do cinema, não suporta pseudo-cultismo e pretende dominar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *