Bode na Sala
Filmes Notícias

…E o Vento Levou é retirado de cinema dos EUA devido às tensões raciais no país

Filme é considerado um dos melhores de todos os tempos

…E o Vento Levou é retirado de cinema dos EUA devido às tensões raciais no país

O cinema Orpheum, localizado na cidade de Memphis, nos Estados Unidos, decidiu retirar o filme …E o Vento Levou, lançado em 1939, de sua programação. O local costuma exibir uma programação repleta de grandes clássicos do cinema e filmes antigos, mas devido às tensões raciais no país, a decisão foi a de não exibir o longa (via Terra).

Em um comunicado oficial, a empresa se pronunciou sobre o ocorrido: “O Orpheum agradece os comentários de seus membros sobre a programação. Nossa organização tem a missão de divertir, educar e esclarecer a comunidade, e não pode mostrar um filme insensível a grande parte da população local”.

…E o Vento Levou se passa durante a Guerra Civil americana, e possui uma visão estereotipada da população negra norte-americana, a colocando apenas em papéis coadjuvantes e de serviçais. Nas redes sociais dos moradores de Memphis houve comentários apoiando a retirada do filme na programação, já que aproximadamente 64% da população da cidade é negra, mas também houve comentários que defendiam a exibição do longa, para mostrar que aquele é um passado que não deve se repetir.

O filme de 1939, dirigido por Victor Fleming, é considerado um grande clássico e um dos melhores filmes já realizados. Com quase 4 horas de duração, ele se tornou a maior bilheteria daquela época, algo que aproxima os US$ 390 milhões, e mesmo se fosse lançado nos tempos atuais, seu valor corrigido ainda ultrapassaria a bilheteria de Avatar. Em 2015, sua bilheteria teria sido de US$ 3,44 bilhões.

The following two tabs change content below.

João Vitor Hudson

João Vitor Hudson é um editor de vídeos que está se formando em Publicidade & Propaganda aos 21. Ama cinema desde quando desejava as férias escolares só pra assistir todos os filmes do Cinema em Casa e da Sessão da Tarde. Ainda não possui o hábito de ver filmes de terror e é um pouco leigo quando se trata de cinema nacional, mas é um carinha boa praça que não dispensa ver um filme. Fã confesso do Nolan, Aronofsky e da Pixar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *