Bode na Sala
Críticas Filmes

A Torre Negra | Crítica

Confira a opinião de Ítalo Passos sobre a adaptação da obra de Stephen King!

A Torre Negra | Crítica

A Torre Negra (The Dark Tower)

Ano: 2017

Direção: Nikolaj Arcel

Roteiro: Akiva Goldsman, Jeff PinknerAnders Thomas JensenNikolaj Arcel

Elenco: Idris Elba, Matthew McConaughey, Tom Taylor, Jackie Earle Haley, Abbey Lee, Katheryn Winnick, Dennis Haysbert, Claudia Kim

Baseado na série de livros do cultuado escritor Stephen King, o filme nos apresenta a história de um mundo onde um homem misterioso conhecido como “O Homem de Preto” quer destruir a Torre Negra, responsável por manter os demônios e o mal afastados do nosso mundo. Temos um longa posto em tela de qualquer jeito, sem um mínimo cuidado. A direção é bem pobre, parece não ter controle nenhum sobre o projeto. É tanto que, ao observar as atuações, vemos que os atores fazem o que podem com um texto bobo e sem sentido algum. Akiva Goldsman, o roteirista, está criando um legado de bombas para o cinema. Infelizmente, ele tem mais erros do que acertos. Matthew McConaughey e Idris Elba não têm muito o que fazer, apenas entregar personagens sem profundidade, enquanto Tom Taylor só está lá para trazer a história para o nosso mundo.

A montagem faz com que um filme de pouco mais de uma hora e meia seja maçante, com momentos que realmente me fizeram ter vontade de abandonar a sala. Muitos cortes sem sentido e sequências que não agregam absolutamente nada para a trama. Isso envolve muitas cenas das quais o vilão participa, além do mesmo não ter motivações para trazer todo aquele caos. Não conseguimos absorver o universo que aquele ser controla. Se ele tem tanto poder, porque ele quer mais destruição? São pequenas coisas que algumas linhas no roteiro resolveriam. Talvez até tenha isso no roteiro inicialmente, mas os cortes e a montagem podem ter deixado de fora na pós-produção, que claramente foi uma bagunça inacreditável.

A ausência de uma trilha sonora memorável deixa A Torre Negra ainda mais desinteressante. Nas cenas de ação, não conseguimos sentir um senso de perigo ou aventura. O desinteresse é tão grande que nenhuma das mortes do filme impactam. Uma delas era até para me deixar feliz, pois um personagem que foi escrito para o público odiar, acaba sendo só mais um. Como eu disse acima, a pós-produção claramente foi o maior problema do longa. Os efeitos especiais são de quinta, principalmente durante o vergonhoso clímax, que nos entregam cenas que literalmente me fizeram rir de vergonha alheia, com uma solução cafona e sem o menor sentido.

No entanto, o longa possui algumas coisas positivas. O design de produção é muito bem feito, mesmo com os efeitos especiais fracos. Além disso, o mundo é bem bonito e o empenho dos dois maiores nomes do elenco, Idris Elba e Matthew McConaughey, é notável. McConaughey interpreta bem o seu vilão, com uma voz suave e ameaçadora e uma postura imponente. Elba também convence em seu papel, com destaque para a cena na qual testemunha a morte de seu pai e demonstra a dor e angústia de nada poder fazer para salvá-lo. Percebemos que não importa o quanto o projeto seja ruim, eles dois dão tudo que podem.

A Torre Negra tinha um enorme potencial e que poderia nos passar até uma mensagem interessante, mas uma pós-produção incompetente e um roteiro medíocre fizeram com que o longa seja uma grande oportunidade perdida e, provavelmente, um dos piores filmes do ano.

Nota do crítico:

Nota dos usuários:

[Total: 1    Média: 2/5]

The following two tabs change content below.
Estudante de jornalismo, cearense, 23 anos, tem três empregos e se arrisca como fotografo iniciante. Apaixonado por cinema, quadrinhos, Tolkien e ficção científica. Kubrick maior de todos, Nolete assumido e pai de um cachorro Jedi que vive querendo ir pro lado negro da força. DC rainha, Marvel nadinha.

Latest posts by Ítalo Passos (see all)

Comments

  1. A Torre negra e un bom filme, foi um dos meus preferidos de Nikolaj Arce. Nesta ocasião ele realmente superou as minhas expectativas. A forma em que juntou o roteiro, os efeitos especiais e a historia foi incrível. Seguramente o êxito de the dark tower 2017 deve-se a Matthew McConaughey porque esta impecável no filme, ele sempre surpreende com os seus papeis, pois se mete de cabeça nas suas atuações e contagia profundamente a todos com as suas emoções. Este ator nos deixa outro projeto de qualidade, de todas as suas filmografias essa é a que eu mais gostei, acho que deve ser a grande variedade de talentos. É uma produção espetacular, desfrutei muito. A historia está bem estruturada, o final é o melhor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close