Bode na Sala
Especiais Filmes

Especial | 10 franquias que ninguém aguenta mais

Especial | 10 franquias que ninguém aguenta mais

Nada melhor do que assistir um ótimo filme no cinema, certo? Saímos de lá felizes, realizados e empolgados. Além disso, na maioria das vezes, é inevitável pensarmos: “estou louco/a para ver uma continuação”. E, muito frequentemente, a sequência vem mesmo. E depois, se ela der certo (leia-se dar dinheiro), pode vir mais uma. E mais uma. E mais uma… Até que ninguém mais aguente ver aquela história e aqueles personagens.

Pensando nisso, separamos algumas (não mais) amadas franquias que se estenderam mais do que deveriam e, atualmente, torcemos para que parem de fazer filmes delas.

Confira:


  • Piratas do Caribe

Quem não amou Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (2003)? Praticamente, todo mundo. O espalhafatoso Jack Sparrow (quer dizer, o capitão Jack Sparrow) de Johnny Depp foi incrível e marcou época (tanto que o ator foi indicado ao Oscar pelo papel). Um sucesso em todos os sentidos. A Disney ficou feliz e, obviamente, quis dar sequência para as aventuras do melhor pior pirata de que já se ouviu falar. O problema é que as duas sequências, que foram gravadas simultaneamente, O Baú da Morte (2006) e No Fim do Mundo (2007), não atingiram o resultado esperado de crítica (o terceiro capítulo, um dos filmes mais caros de todos os tempos, não conseguiu, sequer, ser bom). Mas fizeram dinheiro, né? Sendo assim, o estúdio do camundongo não parou de sugar o capitão Jack e, alguns anos depois, lançou Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas (2011) que, novamente, não agradou os especialistas – e ao público –, mas fez uma boa grana ao redor do mundo, mesmo não se pagando em casa. Sendo assim, mais uma vez, a Disney resolveu tirar a franquia da geladeira e, em 2017, trouxe para nós A Vingança de Salazar, quinto capítulo das aventuras de Sparrow. Mesmo agradando um pouco mais os fãs do que seus três antecessores, não conseguiu reavivar a franquia. Ah, dessa vez nem fez tanto dinheiro assim. Será que, agora, o Mickey vai largar o osso?


  • Transformers

Ah, lembram de quando saiu o primeiro Transfomers, lá em 2007? Foi ótimo! Divertido, bem feito e com uma história bem legal, não ofendendo a obra original. Michael Bay tinha acertado em cheio. O filme foi um sucesso e, obviamente, teria demanda (e orçamento) para uma continuação. E foi o que aconteceu. Dois anos depois, tivemos A Vingança dos Derrotados e, mais dois anos na frente, em 2011, fomos presenteados com O Lado Oculto da Lua. Ambos horrorosos. Ambos um fracasso de crítica. Ambos um sucesso estrondoso de bilheteria. No entanto, depois do terceiro episódio, o protagonista Shia LaBeouf pulou fora da barca. Obviamente, com essa fonte de dinheiro, Paramount e Michael Bay pouco se importaram com quem estivesse estrelando o filme. Tendo explosões e o diretor podendo fazer travelling ao pôr do sol, tudo estava certo. Então, trouxeram Mark Wahlberg para estrelar o quarto filme. O personagem de Shia? Bom, quem se importa? Temos explosões descerebradas! Assim, em 2014, tivemos A Era da Extinção. Uma bomba. Um tsunami de dólares. Não demorou até que anunciassem um novo filme da franquia, O Último Cavaleiro, de 2017, além de um spin-off focado no Bumblebee, que será lançado em 2018. Gente, alguém ainda aguenta ver esses robôs gigantes treteiros explodindo tudo?


  • A Era do Gelo

Vamos ser sinceros, A Era do Gelo nunca foi um primor. O primeiro filme foi interessante, o segundo não era ruim e, particularmente, achei o terceiro divertido. A trilogia, apesar de não ser um grande sucesso de crítica, foi muito bem de bilheteria.  E, pela lógica de Hollywood, se rola dinheiro, rola continuação. E foi o que aconteceu. Não satisfeita com três filmes, a Bluesky, produtora da franquia, investiu em um quarto episódio, destruído pela crítica e que não foi muito bem em bilheteria (mas que também não foi mal). É entre parênteses que se encontra o problema. De acordo com os produtores, se o filme não foi mal, pode ser que um novo capítulo vá bem, certo? Eis que fizeram um quinto episódio de A Era do Gelo, dessa vez chegando a colocar o antes carismático e agora chato esquilo Scrat como um astronauta (sério isso?). Enfim, mais uma surra da crítica e mais um desempenho abaixo do esperado em bilheteria. Esperamos que, agora, deixem a franquia virar fóssil.


  • Riddick

Alguém, sinceramente, sabe do que essa franquia se trata? Até que tivemos um bom primeiro episódio, o Eclipse Mortal, lá em 2000, mas depois disso, nada mais fez muito sentido. A Batalha de Riddick (2004) foi confuso e estranho. Riddick 3 (2013) também não foi grandes coisas. Nenhum foi sucesso de crítica e todos tiveram um desempenho modesto em bilheteria. E o Vin Diesel já disse que quer mais um episódio. Por quê? Ninguém sabe.


  • Triplo X

Olha o Vin Diesel chupando, de novo, uma franquia até o bagaço. Triplo X (2002) é bem mediano (para não dizer ruim). Triplo X: Estado de Emergência (2005) é bem ruim (para não dizer horrível). “Ah, mas o Vin Diesel nem estava nesse segundo filme”, pois é, não estava mesmo. MAS ELE VOLTOU PARA UM TERCEIRO! E COM O NEYMAR! Alguém me explica o porquê?! Triplo X: Reativado (2017) traz o personagem de Diesel de volta, mas da pior maneira possível. Filme sofrível e desnecessário. Crítica detonou. Flopou em bilheteria nos EUA. Mas fez dinheiro ao redor do mundo. Resultado: lá vem o quarto Triplo X.


  • Jogos Mortais

O primeiro filme é ótimo. James Wan chegou mostrando que manja muito de fazer terror. Sucesso total. Obviamente, vieram as continuações. E não foram ruins. A primeira trilogia toda é bem legal, vai. Mas, como já sabemos, onde há dinheiro, há sequências. E assim sendo, nosso amado maníaco Jigsaw continuou matando gente por mais quatro filmes. Sim, além da trilogia, tivemos mais quatro longas. No total, sete Jogos Mortais foram lançados. O último deles, lançado em 2010, no Brasil, teve o título de Jogos Mortais: O Final. Pô, que maravilha, finalmente decidiram aposentar a franquia. E foi exatamente isso o que aconteceu. Por sete anos. Ainda em 2017, ganharemos mais um filme. Que belo presente – como faz para devolver?


  • Anjos da Noite

Há quase 15 anos, chegava aos cinemas Anjos da Noite: Underworld (2003). Que título bonito. Instigante. Aí imagina ele num cartaz maneirão com a Kate Beckinsale badass e vampiresca contra uma lua que tem o vulto de um lobisomem. Não tem como não assistir a esse filme. Felizmente, o longa cumpriu o que prometeu. Entregou uma história bem legalzinha de vampiros contra lobisomens, apresentando cenas de ação bem coreografadas e um visual bem interessante. Com uma aceitação bacana do público e uma bilheteria aceitável, lá vieram as famosas sequências. A primeira foi A Evolução, em 2006, que não atingiu os resultados esperados. O que fazer? Terminar com a franquia? Negativo, vamos fazer um “como tudo começou”, com outros atores. E lá foram os produtores contar a história dos vampiros medievais, com Anjos da Noite: A Rebelião, 2009. Até que não foi tão ruim – tinha o Michael Sheen. Aí, como os filmes estavam dando dinheiro ainda, resolveram trazer a Kate Beckisale de volta. Aí tivemos Anjos da Noite: O Despertar, em 2012. Investiram mais nesse filme. Os resultados foram bem medianos. MAS NÃO FORAM RUINS. Sendo assim, decidiram que dava para fazer mais um. Com a metade do orçamento do filme anterior, lançaram Anjos da Noite: Guerras de Sangue, em 2017. O longa, assim como todos os anteriores, teve um resultado bem mediano, sem conseguir se pagar dentro de casa. E as críticas especializadas detonando. Mesmo assim, quem duvida que teremos um novo longa dessa interminável franquia?


  • X-Men

Eis um caso triste. Nenhum dos X-Men é ruim. Existem uns fracos, como O Confronto Final, de 2006, e Apocalipse, de 2016 (particularmente, não gosto de Dias de um Futuro Esquecido, de 2014, mas não vem ao caso). No entanto, a franquia já esgotou a sua cota. Claro que tivemos ótimos filmes, como X-Men 2 e Primeira Classe, mas não justifica alongar mais as histórias dos mutantes nos cinemas. Não por enquanto, pelo menos. Poderiam deixar os alunos do Professor X descansarem por, sei lá, uma década, e, então, trazê-los com um novo fôlego e num momento em que já estivermos com saudades. Apesar da crítica não ter destruído nenhum dos longas e a bilheteria ter respondido razoavelmente bem para todos eles, o público já não tem mais o mesmo interesse de outrora pela franquia. Seria melhor parar enquanto não está feio, né? Apesar disso, lá vamos nós para mais um filme: X-Men: Dark Phoenix chega aos cinemas no ano que vem. Nossa, estamos animadíssimos – só que não. Obs.: Estou desconsiderando os filmes solos, como Logan e Deadpool (ótimos, por sinal), que estão no mesmo universo, mas não estão na franquia principal (ah, vocês entenderam).


  • Velozes e Furiosos

Sinceramente, gosto muito da franquia Velozes e Furiosos. Muito mesmo. Apesar disso, já tivemos oito filmes de Toretto e sua turma. Gente, OITO FILMES. E estão vindo os capítulos nove e dez. Pode rolar até uns rachas no espaço. Lá pela metade da série de filmes, os produtores (Vin Diesel incluído) jogaram tudo para o alto e decidiram meter o louco. Agora, não há mais limites para o que a família de Toretto pode fazer com seus carros tunados. Poxa, apesar da falta de verossimilhança, é tudo bem divertido. – Espera aí, essa lista não era sobre franquias que já encheram o saco? Sim! – Pois então, apesar de ser tudo bem legal e louco, a gente ainda quer saber qual é a próxima missão dos corredores malucos? O divertimento é sensacional, mas chega uma hora que temos que buscar novos desafios (né, Vin Diesel?). A franquia, que já estava longa, poderia ter se encerrado perfeitamente com Velozes e Furiosos 7, lá em 2015, que teve um final lindíssimo (sim, eu chorei desesperadamente). Enfim, poderiam ter saído no auge, mas a Universal quer mais e mais ‘dinheiros’, e isso é uma coisa que o Toretto sabe fazer.


  • Resident Evil

Bom, esse vai ser breve, pois é um caso que, aparentemente, está encerrado. No ano passado, lançaram o sexto ou sétimo filme (não sei ao certo) e que trazia no título O Capítulo Final. Deve ser o fim, certo? Vamos torcer para que não repita a traquinagem de Jogos Mortais e ressurja das cinzas…


E aí, concorda com a lista? Qual outra franquia acrescentaria nela? Deixe nos comentários!

The following two tabs change content below.
Jornalista e radialista, é um dos fundadores do Bode na Sala. Tem 25 anos, se orgulha de ter nascido em São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, e, atualmente, mora em Porto Alegre. Trabalhou em todas as áreas que se pode imaginar, mas acabou caindo no submundo geek. É fã do Jim Carrey, acha que o Ben Affleck é o melhor Batman do cinema, não suporta pseudo-cultismo e pretende dominar o mundo.

Comments

  1. Harry Potter

  2. Eu ia dizer Star Wars.

  3. todo mundo em pânico, american pie, atividade paranormal.

  4. So vim dizer: generaliza falando algo que não gosta não torna isso real
    Isso é tudo pessoal

  5. “Aparentemente, está encerrado”, mais ou menos, essa “Saga” com a Alice realmente acabou (graças a Deus! Pior ideia que já tiveram foram criar essa geringonça chamada Alice, uma personagem que nos jogos nem sequer existe, qual a lógica disso ?). Porém, entretanto, contudo, já anunciaram no início desse ano um ‘Reboot’, e que o Paul W. S. Anderson não irá se envolver (glória, em contra partida ele vai dirigir um filme da franquia de jogos Monster Hunter, e que por sinal também é da Capcom, adiantou nada), quem irá dirigir será o James Wan, não sei oque dizer, só espero que acertem no tom desta vez ..

  6. QUEM ESTÁ CANSADO DAS FRANQUIA. NÃO É APENAS NÃO ASSISTI ???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *