Bode na Sala
Especiais Filmes

Especial | A saga do Batman no cinema, do pior ao melhor filme

Especial | A saga do Batman no cinema, do pior ao melhor filme

Como todos sabem, o atual Batman do cinema atende pelo nome de Ben Affleck. Na época em que o ator foi escolhido para vestir o manto do Homem-Morcego, muita gente torceu o nariz (além de reclamar muito no Twitter – até abaixo-assinado rolou). Apesar disso, o ator seguiu em frente e entregou um Batman próximo daquilo que se vê nos quadrinhos e, acredite ou não, acabou virando a versão do herói favorita de muita gente. No entanto, o longa em que fez sua estreia, Batman vs Superman: A Origem da Justiça, não agradou muito, não (nem vou comentar sobre Esquadrão Suicida, em que ele faz uma ponta). Agora, o morcegão estará liderando a Liga da Justiça, que chega aos cinemas em novembro, e, se todos os problemas forem resolvidos, ganhará um novo filme solo, em breve.

Enfim, é um dos heróis que mais teve adaptações para o cinema e rendeu muitos milhões de dólares. Mas, afinal, quais são os melhores e os piores filmes do Batman?

Tem gente que ama os filmes do Tim Burton, outros são fãs da trilogia do Christopher Nolan, vários idolatram o confronto com o Superman que Zack Snyder fez… Do Joel Shumacher, bom, desse todos querem esquecer.

Então, o Bode na Sala resolveu listar os filmes live-action do Homem-Morcego, do pior ao melhor, levando em conta a opinião deste que vos escreve, obviamente, dos colaboradores do site (a briga para posicionar Batman na frente de Batman Begins foi intensa) e as notas do IMDb e do Rotten Tomatoes. De quebra, trouxemos o orçamento e a bilheteria de cada um deles.

Confira:


  • Os melhores e piores filmes do BatmanBatman & Robin (1997)

IMDb: 3,7/10 | Rotten Tomatoes: 11% | Bilheteria mundial: US$ 238,2 milhões | Orçamento: US$ 125 milhões

Difícil falar desse filme do Joel Schumacher. Não há pontos positivos. Não há motivos para ele ter sido feito. Aliás, como que aprovaram tirar isso do papel? Enfim, Schumacher, aqui, faz sua segunda perversão com o Homem-Morcego, depois do também sofrível Batman Eternamente, do qual falaremos logo abaixo. O filme, protagonizado por George Clooney (Batman/Bruce Wayne) e Chris O’Donnell (Robin/Dick Grayson), é uma grande mistura de bizarrices, como o bat-cartão-de-crédito e os polêmicos bat-mamilos. Além disso, há uma galeria de vilões (sub)subaproveitados, como o Mr. Freeze (Arnold Schwarzenegger), Hera Venenosa (Uma Thurman) e um Bane pra lá de escroto. Como se não bastasse toda essa galera, ainda inseriram Alicia Silverstone como Batgirl. Uma salada de frutas demoníaca. O resultado final? Não poderia ser pior. O longa foi um fracasso tão grande que, depois dele, só tivemos um novo longa do Batman em 2005.


  • Os melhores filmes do BatmanBatman Eternamente (1995)

IMDb: 5,4/10 | Rotten Tomatoes: 40% | Bilheteria mundial: US$ 336,5 milhões | Orçamento: US$ 100 milhões

Eis aqui o primeiro ataque de Joel Schumacher ao Batman. O filme é tão horrível assim? Até que não. Existem coisas piores. Mesmo assim, é indiscutivelmente ruim. O longa traz Val Kilmer (quem teve essa ideia?) no papel de Bruce Wayne/Batman, e Chris O’Donnell, aqui, já assume o collant de Robin, que ele voltaria a vestir (lamentavelmente) no ainda pior Batman & Robin. Schumacher erra a mão em muitas coisas nesse filme, que tinha como intenção amenizar a violência de seu antecessor, Batman: O Retorno, garantindo uma bilheteria melhor que a da segunda aventura de Tim Burton. No entanto, nessa mudança de tom, muitas decisões (erradas) de Schumacher e dos produtores foram tomadas com a desculpa de “homenagear” a série clássica. Mas nada funciona, além do Robin de O’Donnell, que até tem um desenvolvimento razoável. Charada (Jim Carrey) e Duas-Caras (Tommy Lee Jones) são os antagonistas do morcegão, mas seus personagens são tão caricatos e forçados que fica difícil chamá-los de vilões. E todo esse show de bizarrices tem a cobertura de um roteiro que, praticamente, não existe. E não podemos esquecer do bat-móvel sandalinha…


  • Os melhores filmes do BatmanBatman vs Superman: A Origem da Justiça (2016)

IMDb: 6,7/10 | Rotten Tomatoes: 27% | Bilheteria mundial: US$ 873,2 milhões | Orçamento: US$ 250 milhões

Esse é polêmico. Alguns dizem que é “um filme grande demais para mentes pequenas”, outros acreditam que é só meia-boca. Estou no segundo time. Apesar de Batman vs Superman, acredite ou não, ter uma cotação no Rotten Tomatoes menor que a de Batman Eternamente, todos sabemos que ele é melhor. Muito melhor. Mas, ainda assim, não consegue passar de um filme bom que poderia ter sido muito mais. Muito mesmo. Dirigido por Zack Snyder e tendo alguma inspiração de O Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller, o longa tinha muitas missões: ser uma continuação de Homem de Aço, introduzir e desenvolver a história de Bruce Wayne/Batman, juntar a Diana Prince/Mulher-Maravilha com os dois protagonistas, apresentar os outros membros da futura Liga da Justiça, mostrar a importância de uma Martha na vida das pessoas… Enfim, quis ser muita coisa e acabou sendo bem pouco. O principal destaque da trama fica por conta de Ben Affleck e seu Bruce Wayne mais experiente, que não mede esforços para proteger Gotham City. Ainda assim, mesmo Batman sendo a melhor coisa do filme, as decisões que Snyder toma, fazendo com que o morcegão mate pessoas, por exemplo, conseguiram desagradar muitos fãs. Obviamente, não podemos esquecer do embate entre os dois protagonistas: dura menos que 10 minutos e termina de uma maneira vergonhosa. Um filme grande demais para uma luta pequena.


  • Batman: O Retorno (1992)

IMDb: 7,0 | Rotten Tomatoes: 80% | Bilheteria mundial: US$ 266,8 milhões | Orçamento: US$ 80 milhões

Segunda aventura do Homem-Morcego comandada por Tim Burton, depois do enorme sucesso de 1989. Insatisfeito com o primeiro filme, Burton não pretendia sentar, novamente, na cadeira de diretor. No entanto, acabou tendo maior liberdade para produzir a obra e resolveu voltar atrás. Assim, saiu Batman: O Retorno, que também trouxe de volta Michael Keaton como Bruce Wayne/Batman. Com destaque para os vilões da trama, Mulher-Gato (Michelle Pfeiffer, perfeita) e Pinguim (Danny DeVito), o longa investe em um visual e uma ambientação tão incríveis quanto os de seu antecessor, além de ótimas críticas sociais. Apesar disso, o roteiro, que dá mais liberdade a Burton, também empobrece o longa, deixando a história com furos. É um lindo embrulho para um presente que até é bem legal, mas não era bem aquilo que você estava esperando.


  • Os melhores filmes do BatmanBatman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)

IMDb: 8,5/10 | Rotten Tomatoes: 87% | Bilheteria mundial: US$ 1,08 bilhão | Orçamento: US$ 250 milhões

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge é o encerramento da bem-sucedida trilogia de Christopher Nolan. Apesar do filme não ser unanimidade entre os fãs do Homem-Morcego e estar muito abaixo de seu antecessor, o excelente Batman: O Cavaleiro das Trevas, é indiscutível que a terceira aventura protagonizada por Christian Bale encerra muito bem a franquia. O roteiro tem furos? Sim, vários. Vários mesmo (como que o Batman, com pressa, conseguiu fazer aquele morcego gigante em chamas na ponte, gente?). Mesmo assim, traz uma boa e eficiente Selina Kyle/Mulher-Gato (Anne Hathaway), retoma de maneira aceitável a história de Ra’s Al Ghul (Liam Neeson) e apresenta um bom vilão, o Bane (Tom Hardy), que mete o louco em Gotham City e quebra, literalmente, o nosso herói. Ah, não podemos esquecer do Rob… ops, Blake (Joseph Gordon-Levitt), que acaba sendo uma boa surpresa para a história. No final, gostando ou não do longa, vemos Batman se tornando aquilo que sempre estava destinado a ser: o herói que Gotham precisa. É impossível sair indiferente da sessão do filme.


  • Os melhores filmes do BatmanBatman Begins (2005)

IMDb: 8,3/10 | Rotten Tomatoes: 83% | Bilheteria mundial: US$ 374,2 milhões | Orçamento: US$ 150 milhões

Menos bem cotado no IMDb e no Rotten Tomatoes que O Cavaleiro das Trevas Ressurge, a primeira aventura dirigida por Christopher Nolan, na nossa lista, acaba ficando na frente. O motivo? Quando perguntamos aqui na redação quem gostava do filme, foi unanimidade: todo mundo disse que sim, diferente da situação de O Cavaleiro das Trevas Ressurge. Além disso, foi esse filme o responsável por apagar todo o mal feito por Joel Schumacher e colocar o morcegão em seu devido lugar: o topo. Em Batman Begins, que tem forte influência de Batman: Ano Um, de Frank Miller, acompanhamos a jornada Bruce Wayne para vencer os seus medos e se tornar o Homem-Morcego. Todo o treinamento, as motivações, os temores, os personagens e a jornada do herói convergem para uma excelente história de origem. Há um vilão de peso no longa? Não mesmo. Mas, aqui, não há motivos para isso. O foco da história é o conflito interno de Wayne e a descoberta de seu verdadeiro destino. E isso é ótimo.


  • Os melhores filmes do BatmanBatman (1989)

IMDb: 7,6/10 | Rotten Tomatoes: 72% | Bilheteria mundial: US$ 411,3 milhões | Orçamento: US$ 35 milhões

A primeira adaptação do Homem-Morcego para os cinemas trouxe de volta o clima sombrio para o herói, marca registrada nos quadrinhos e que não esteve presenta na série de TV sessentista, estrelada por Adam West. Dirigido por um jovem Tim Burton, o longa foi extremamente importante para os filmes do gênero, que ainda não sabiam por qual caminho seguir. O resultado? Filas quilométricas se formavam para assistir Batman nos cinemas. O seu orçamento de apenas US$ 35 milhões de dólares se converteu em uma bilheteria de US$ 251 milhões, somente nos Estados Unidos. Mundialmente, o filme fez US$ 411 milhões. Um sucesso impressionante. A escolha de Michael Keaton para protagonizar o filme foi muito questionada pelos fãs do morcegão, que mandaram milhares de cartas para a Warner Bros., pedindo para que mudassem o ator que viveria Bruce Wayne. No final das contas, Keaton foi um Batman sombrio na medida certa, sendo assustador e eficiente. Seu arqui-inimigo Coringa foi vivido pelo sempre ótimo Jack Nicholson, que dá ao personagem o tom anarquista, insano, divertido e letal. A escolha não poderia ter sido mais acertada. Visualmente, assim como em O Retorno, Batman traz uma Gotham City gótica, steampunk suja e mais perigosa do que nunca. A cena inicial, em que o Homem-Morcego salva uma família que, provavelmente, teria o mesmo desfecho que os Wayne, é excelente e de uma genialidade ímpar. Enfim, o primeiro longa do morcegão nos cinemas tem classe e todos os elementos imprescindíveis do personagem, além de ser um divisor de águas para os filmes de super-heróis.

Os melhores filmes do Batman


  • Os melhores filmes do BatmanBatman: O Cavaleiro das Trevas (2008)

IMDb: 9,0/10 | Rotten Tomatoes: 94% | Bilheteria mundial: US$ 1 bilhão | Orçamento: US$ 185 milhões

Motivos para Batman: O Cavaleiro das Trevas ser o primeiro da lista: o Coringa de Heath Ledger. Só isso já bastaria, não é? Mas, além da genialidade do ator que deu vida ao arqui-inimigo do Batman, lhe rendendo um merecidíssimo Oscar póstumo, o diretor Christopher Nolan trouxe uma história muito bem construída e impactante. A sua segunda aventura do Homem-Morcego para o cinema ganhou o status de melhor filme do Batman, além de figurar sempre no topo (ou bem perto dele) nas listas de melhores do gênero. Tudo funciona perfeitamente bem dentro da trama, desde a insanidade do Coringa, que tem como inspiração A Piada Mortal, de Alan Moore, mostrando o início do relacionamento simbiótico (que, infelizmente, não pode ser mais explorado na franquia) entre ele e o Batman, até o caráter de Harvey Dent sendo corrompido, fazendo-o se transformar no Duas-Caras, o verdadeiro vilão do longa. Christian Bale, aqui, vive um Bruce Wayne devastado e que, no final da trama, dá o maior exemplo de heroísmo possível. Mesmo em meio ao caos que se instaura em Gotham City, Nolan consegue mostrar que sempre há motivos para se ter esperança, como a incrível cena das barcas exemplifica. Uma obra-prima em forma de filme de super-herói.


E aí, concorda com a lista? Deixe a sua opinião nos comentários!


Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre filmes e séries? Curta a nossa página no Facebook!

The following two tabs change content below.
Jornalista e radialista, é um dos fundadores do Bode na Sala. Tem 25 anos, se orgulha de ter nascido em São Borja, no interior do Rio Grande do Sul, e, atualmente, mora em Porto Alegre. Trabalhou em todas as áreas que se pode imaginar, mas acabou caindo no submundo geek. É fã do Jim Carrey, acha que o Ben Affleck é o melhor Batman do cinema, não suporta pseudo-cultismo e pretende dominar o mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *