Bode na Sala
Especiais Séries

Especial | 5 motivos para assistir Twin Peaks

Especial | 5 motivos para assistir Twin Peaks

No próximo dia 21 estreia a nova temporada de Twin Peaks, série dos anos 90, com carinha de 60 e psicodelia sem idade. Se você curte cinema fantástico misturado com suspense e certa comicidade, aqui tá a fórmula! Mas por que maratonar e correr pra assistir os 30 episódios passados pra domingo começar a acompanhar essa queridinha dos cinéfilos cults? Chega mais que vamos listar 5 motivos pra acompanhar a trama em torno do assassinato de Laura Palmer e dos mistérios da “pacata” cidade Twin Peaks!

  1. David Lynch e Mark Frost

Essa dupla trouxe a linguagem cinematográfica pra TV! David Lynch foi o primeiro diretor de cinema a topar se aventurar em ficção seriada, em uma época em que se escalonava a “qualidade” das produções e a televisão era vista como inferior. Ele aceitou o desafio e juntamente com Mark Frost (já roteirista de séries de TV) escreveram o roteiro do piloto e dos 7 episódios subsequentes de Twin Peaks anteriormente, para então gravar a série, o que possibilitou uma primeira temporada coerente, sem redundâncias e com todos os episódios se encaixando e conversando com a narrativa. Isto não aconteceu em toda segunda temporada, quando ambos se afastaram e deixaram a série caminhar com outros roteiristas e diretores de modo a se perder em criações de novos personagens sem a mesma sutileza, mistério e suspense tão marcantes no primeiro arco da história. Mas a terceira temporada promete uma reaproximação ao modo de construção da primeira, com todos os 18 episódios escritos anteriormente pelos dois, sendo todos dirigidos por Lynch, reintroduzindo a série como um grande filme dividido em 18 partes (não necessariamente iguais – temos episódios duplos e de durações diferentes).

  1. Agent Cooper

Nosso personagem principal está de volta: esperto o suficiente para ser agente do FBI, sensível o suficiente pra olhar e sentir a paisagem, além de ter tempo para valorizar comida e o bom café de cada dia (não esqueçamos da tradicional torta de cereja e das rosquinhas), contando com o método tibetano e sua intuição. Na próxima temporada vamos acompanhar mais desse cara podendo continuar a vê-lo em seus monólogos com Diane, a possível secretária para quem ele aponta verbalmente todas as notas sobre seus casos e descobertas, mas que nunca vemos nem ouvimos pois ele sempre fala para seu gravador – será que Diane é o nome do gravador? De todo modo, rende os melhores momentos da série, é um personagem complexo, bem construído e envolvente.

  1. Sobrenatural, horror e mistério emoldurando as relações humanas

Pra quem acha que a série trata apenas da descoberta de um crime, ela vai muito além disso. Ela parte de personagens um tanto caricatos, presumidamente estranhos, mas que levam a um estudo do comportamento humano e dos tantos eus que cabem em uma só pessoa. A rainha do baile que tem a vida perfeita na fachada também se prostitui e se rende a vícios em outra face, o romance do casal acidental se transforma e se dissolve em meio aos mistérios, nada é só o que aparenta inicialmente. Na série vemos coisas surreais e também a banalidade do cotidiano, e na terceira temporada parece que acertarão na medida – isto porque enquanto a primeira temporada é incrivelmente bem escrita contando com episódios excelentes (toda projetada anteriormente para depois ser gravada, como já dito), a segunda sofre uma perda por Lynch ter sido premiado com a Palma de Ouro e sair para lançar seu filme e a série muda de rumo; o foco, que antes era no suspense do assassinato de Laura Palmer, se perde e da metade da segunda temporada pro fim muda, pois não conseguiram recriar o mistério depois de desvendar o assassino, perdendo a sutileza da abordagem e ficando só o contexto de “ficção e horror”, mas muito misturado com comicidade forçada e romance. Essa mudança fez diminuir ainda mais o público da série e ela acabou sendo cancelada, e 25 anos depois está de volta.

Os 25 anos de espera foram planejados… Talvez não de todo, mas se aproveitou o momento que coincidia com a promessa feita em cena do último capítulo para retomar os fios deixados soltos. Pelas contas os 25 anos exatos foram completos em junho de 2016, mas Lynch saiu da produção no ano passado por questões de granas, e voltou depois para lançar agora em 2017, antes de completar 26 anos de hiato.

  1. Volta do quarto vermelho

Sim, o quarto e as bizarrices estarão de volta! Este que é local de sonhos, é também a porta de entrada para o black lodge, uma espécie de outra dimensão da qual pouco sabemos mas que age diretamente na “realidade”. É nela que vemos Bob e Laura Palmer, também o gigante e o Mike.

  1. Trilha sonora

Quanto à trilha não tem muito o que dizer, só ouvindo! Já adianto que é maravilhosa, composta por Angelo Badalamenti, que está de volta para a terceira temporada, na qual 39 atores da série original voltam e conta com 400 páginas de roteiro. Confira as prévias abaixo e acompanhe Twin Peaks.

The following two tabs change content below.

Latest posts by Maytê Ramos Pires (see all)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close