Bode na Sala
Críticas Filmes

Crítica | Estrelas Além do Tempo

Crítica | Estrelas Além do Tempo

HiddenEstrelas Além do tempo (2016)

Diretor: Theodore Melfi

Roteirista: Theodore Melfi

Elenco: Taraji P. Henson, Janelle Monáe, Octavia Spencer, Mahershala Ali, Kevin Costner, Jim Parsons, Kirsten Dunst, Aldis Hodge

Por Rafael Bernardes

Baseado no livro Hidden Figures, de Margot LeeShetterly, Estrelas Além do Tempo conta a história real de três mulheres negras que trabalhavam na NASA durante a corrida espacial. A produção é dirigida por Theodore Melfi, responsável pelo filme Um Santo Vizinho, protagonizado por Bill Murray.

O fato contado é desconhecido do grande público e de extrema importância. No início da década de 60, havia uma forte segregação nos Estados Unidos, onde negros e brancos eram separados na sociedade. Haviam banheiros, zonas em ônibus, bares, festas, bairros exclusivos, o país era praticamente dividido. Claro que quem saía perdendo eram os negros. O racismo presente ainda nos dias de hoje é muito bem retratado por Melfi, explicitando a ignorância e o preconceito do americano médio branco. Desde o início do filme, o foco principal fica em Katherine, protagonizada por Taraji P. Henson. A personagem principal é uma matemática exemplar, conseguindo realizar qualquer tipo de operação. A atriz apresenta uma ótima atuação, mas peca no exagero ao retratar a personagem.

Logo somos apresentados às suas amigas, Mary (Janelle Monáe) e Dorothy (Octavia Spencer), ambas colegas de Katherine na NASA. Todas possuem uma qualidade e mostram ser tão qualificadas (ou mais) do que a maioria dos homens. Mary só não é uma engenheira por que não é permitido o seu ingresso em uma universidade. Janelle Monáe está impecável no papel, apresentando uma personagem forte e decidida, que não deixa nenhum homem lhe dizer o que deve ou não fazer. Dorothy é uma excelente programadora, além de possuir uma liderança fora do comum.  Octavia Spencer é dona da melhor atuação, passando todo o carisma necessário e não deixa a desejar nos momentos dramáticos. A trama realça sempre os atributos positivos das personagens e escancara as dificuldades do dia a dia, causadas pelo racismo e machismo. A história vai se desenvolvendo e mostrando a trajetória das mulheres e choca o espectador ao ver as caras de nojo dos brancos em relação a elas. As três estão muito bem em seus papéis e muito disso reflete na trama. Elas fazem com que os problemas do filme não tenham tanto impacto ao analisarmos a obra.

O machismo de homens negros em relação a mulheres negras também está presente e podemos identificar em uma das primeiras cenas em que Mahershala Ali aparece. Ele interpreta Jim Johnson, integrante do exército americano. O ator está atuando bem, é seguro, sempre chamando um pouco da atenção para si, por conta de sua imposição. Kevin Costner dá vida ao personagem mais clichê do filme. Al Harrison é o diretor da NASA (aquele branco que parece ser menos racista que os demais). Al protagoniza a cena mais clichê do filme, envolvendo uma espécie de “quebra de correntes” com diálogos fraquíssimos e pouca criatividade do roteirista. Jim Parsons também está no filme, mas em nenhum momento tive certeza se estava assistindo o personagem Paul Stafford ou um Sheldon Cooper racista e machista. Além dos problemas já citados, o roteiro apresenta alguns clichês de filmes da Sessão da Tarde.

Apesar da história ser maravilhosa e um grande exemplo para as pessoas, a produção não possui todos esses atributos. Não se trata de um filme ruim, longe disso. Estrelas Além do Tempo é muito bom, possui uma bela fotografia, Pharrell Williams é o responsável pela linda trilha sonora e o ritmo é agradável. Os problemas de roteiro impedem que a obra seja tão grande quanto a história. Se houvesse mais coragem e criatividade na forma de contar esse fato histórico praticamente desconhecido, seria indicado ao Oscar com méritos (achei injusta sua indicação). Theodore Melfi apresenta uma direção sólida, atrapalhada por um roteiro mediano, escrito por ele mesmo. Os enquadramentos são precisos e bem executados. Alguns personagens poderiam ter sido melhor desenvolvidos e cenas estendidas exageradamente dariam lugar a fatos importantes não mostrados, principalmente em relação à vida pessoal das três personagens centrais.

Estrelas Além do Tempo é um ótimo filme que conta uma história maravilhosa e deve ser visto por todos, ainda mais nos dias de hoje. Mulheres negras foram essenciais para que os Estados Unidos vencessem a corrida espacial e colocassem o primeiro homem na órbita da terra. Sem elas, nada disso teria acontecido. As pessoas precisam saber disso.

Nota: 8/10

The following two tabs change content below.

bodenasala

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close